Tags: Alternativos |

O mapa dos fundos abertos de rendimento


Além dos fundos abertos de acumulação, a Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios – APFIPP – também mostra dados para os fundos abertos de rendimento, no segmento imobiliário. Os últimos dados sobre o mercado dos fundos imobiliários, relativos a setembro, mostram que o valor em carteira das entidades que são associadas situava-se em 10.465,9 milhões de euros, um valor mais baixo em 0,6% do que o valor registado em agosto. Recorde-se que as entidades associadas da APFIPP apenas representavam, no final de setembro, 89,12% do mercado nacional, publicado pela CMVM.

Esta categoria dos fundos abertos de rendimento, caracteriza-se por juntar todos os fundos imobiliários que “distribuem os rendimentos gerados aos Participantes, de forma periódica”. No final de setembro, esta categoria era composta por seis produtos que somavam quase 1.500 milhões de euros em património, sendo o terceiro segmento maior entre os fundos imobiliários.

Maior fundo nacional está aqui

O maior fundo português de investimento imobiliário é o Fundimo que é da responsabilidade da Fundger. No final do mês de setembro o seu património ascendia a mais de 563 milhões de euros, deixando a larga distância o segundo maior fundo do segmento: o Imofomento, que está sob alçada da BPI Gestão de Activos. Este fundo registava, no final do mês de setembro, um valor de carteira superior a 303 milhões de euros.

O terceiro maior produto é o Vip que é da responsabilidade da Silvip, e que no final do período em questão apresentar um valor em carteira de 295 milhões de euros.

Acima dos 100 milhões de euros ainda surge mais um outro fundo. Trata-se do NB Património, da GNB Gestão de Ativos, com o valor a ser superior a 240 milhões de euros.

Quais os mais rentáveis?

Com dados referentes ao último dia de setembro, o fundo do segmento com maior rendibilidades nos últimos dez anos é o VIP. Gerido pela Silvip, o fundo regista ganhos anuais de 3,45%, sendo seguido do Imofomento da BPI Gestão de Activos com uma rendibilidade de 2,63%.

Em prazos mais curtos,  nomeadamente a doze meses, o fundo que se destaca é o Imopoupança, da Fundiestamo, que regista uma rendibilidade de 3,46%, liderando também a dois, três e cinco anos.

O segmento dos fundos abertos de rendimento

Captura_de_ecra__2016-11-8__a_s_11

Fonte: APFIPP no final de setembro

Empresas

Notícias relacionadas