Tags: Obrigações | Ações | EUA |

"O crescimento lento dos EUA terá consequências directas nos mercados"


A evolução da economia norte-americana continua a ser motivo de análise por parte ​​de diversos especialistas. Para Russ Koesterich, director de estratégias de investimento na BlackRock e responsável global de investimento na iShares , o crescimento será mais lento nos próximos meses à medida que os cortes na despesa pública (conhecido como “sequestro fiscal”) tenham efeito. "O verdadeiro risco para os EUA é um crescimento mais lento do que o esperado, assim como o desemprego, que ainda está em 7,6% da população”, uma percentagem que, como recorda Koesterich, não contabiliza os desempregados que não estão activamente à procura de trabalho.

Segundo explica num artigo, no qual analisa os últimos dados do desemprego nos Estados Unidos, "se não se cria emprego num ritmo mais rápido e os salários continuam a ser baixos, um crescimento lento terá consequências directas sobre os mercados financeiros".  Em primeiro lugar, Koesterich prevê que a volatilidade dos mercados accionistas será maior devido a um crescimento desigual. Em segundo lugar, considera que as empresas de grande capitalização terão melhores resultados do que as empresas menor dimensão. E, por último, o director de estratégias de investimento na BlackRock acredita que, embora ainda recomendem o investimento em acções, não se deve subestimar as obrigações, especialmente as emissões corporativas, como títulos ‘high yield’, empréstimos bancários e obrigações municipais.

Anexos

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido