Tags: Negócio |

O céu desabou na cabeça dos escoceses


O WWA – World Whiskies Awards é o concurso mundial mais importante da categoria (organizado pela Whisky Magazine), onde são eleitos os melhores Whiskies do mundo em várias categorias. Este concurso existe desde 2007 e o prémio para melhor Single Malt Whisky do mundo tem sido monopolizado por destilarias escocesas e japonesas. Se os escoceses já tinham grandes dozes de azia pelo facto dos japoneses terem vindo a dividir com eles o primeiro prémio ao longo dos últimos anos, não estariam com certeza preparados psicologicamente para o resultado deste ano. No concurso de 2014 (prova cega), o Single Malt eleito como o melhor do mundo foi, pasme-se, um Single Malt da Tasmânia – o Sullivans Cove French Oak Cask.

A destilaria Sullivans Cove só existe desde 1994, uma vez que a proibição de destilar bebidas alcoólicas, na Austrália, só foi levantada no início dos anos 90, o que torna o feito ainda mais impressionante. A grande qualidade dos whiskies da Tasmânia deve-se às condições ideias para o cultivo de cevada e à pureza da água, resultantes dos mais baixos índices de poluição do mundo.

O Sullivans Cove French Oak Cask é o Single Malt destilado 2 vezes utilizando técnicas tradicionais, envelhecido em cascos de carvalho francês de vinho do Porto! Uma característica de todos os whiskies desta destilaria é que não são filtrados, contribuindo para um whisky mais encorpado, redondo e suave – um verdadeiro Single Malt. Quando um casco está pronto para ser engarrafado, a percentagem de álcool  do whisky é de entre 60 a 70% (dependendo do tempo de envelhecimento e do tipo de whisky). Seguidamente, junta-se água para trazer a percentagem de álcool para os valores de comercialização standard, que no caso da Sullivans Cove são de 40 e de 47,5%. Quando se junta água, o whisky tende a ficar turvo, e são necessários 2 a 4 meses de repouso para que o whisky volte a ficar límpido. Algumas destilarias filtram o whisky para acelerar este processo. A desvantagem é que o whisky perde alguma cor e características. Ou seja, o que se ganha em tempo, perde-se em qualidade. Os senhores da Sullivans Cove preferem esperar mais 4 meses mantendo a cor natural, o sabor e a viscosidade do seu whisky.

O melhor Single Malt de 2014 destacou-se por revelar uma complexidade aromática que combina amêndoas torradas, passas e especiarias. Na boca destacam-se os sabores a mel, baunilha maçã e especiarias.

Outra característica do Single Malt premiado é que cada casco é engarrafado separadamente, dando para cerca de 500 garrafas. Isto quer dizer que pode haver pequenas diferenças entre um casco e outro. O casco premiado foi o número 525, e a má notícia é que já não existem garrafas disponíveis deste casco específico. O melhor que se pode fazer é comprar uma garrafa de outro casco na esperança que seja idêntico ao premiado, o que também não se afigura como tarefa fácil pois está esgotado em todo o lado (algumas lojas online aceitam reservas para entregas em Setembro).

Para além do French Oak Port Cask 47,5% premiado, a Sullivans Cove tem mais duas expressões: o American Oak Bourbon Cask 47,5% e o Double Cask 40%. Em relação ao American Oak Bourbon Cask, a única diferença para o whisky premiado é o tipo de cascos utilizados no envelhecimento. O Double Cask, como o próprio nome indica, combina os dois tipos de cascos, resultando num whisky mais suave e homogéneo.

O Mais Lido

Próximos eventos