Novo ano chinês: Ásia desprende-se da solidão?


O horóscopo chinês indica que o ano de 2015 é o ano da cabra. “Um ano calmo depois do ano energético do cavalo”, é o que o zodíaco chinês espera. E nos investimentos, será que podemos esperar também um ano de pouca agitação?

Andrew Swan, gestor do BGF Asian Dragon Fund, da BlackRock, entende que com o mote dado pelo ano da cabra, os investidores devem olhar para as ações europeias de forma a refletir algumas das melhores qualidades deste animal.  Numa metáfora com a cabra, o especialista assinala a resiliência, o facto de estar habituada à solidão e a sua coragem de alcançar novos níveis de desafio. Ou seja, dizem existir alguma semelhança em relação à "viagem" das ações asiáticas para 2015.

O andamento das reformas

Um dos pontos chave que marcará este ano na China apontam ser o debate sobre o progresso das reformas levadas a cabo no país, anunciadas em 2012 . “Apesar do cepticismo a que temos vindo a assistir, as reformas têm progredido nalgumas frentes: no orçamento fiscal, na redução do risco sistémico dos bancos ou na diminuição da expansão do sistema bancário paralelo”.

Interesse pelas empresas com propriedade intelectual

Outra das questões subjacentes ao país é a “abertura de novos sectores a players privados, o que irá fornecer terreno fértil para algumas das novas empresas da área da internet se expandirem”. Destaca que na entidade estão interessados nas empresas que vão beneficiar da reorientação do governo em relação às exportações, ou seja, empresas que vão passar da produção barata de têxteis e brinquedos, para produtos que têm algum nível de propriedade intelectual subjacente.

A recente queda dos preços do petróleo, diz Andrew Swan, poderá ajudar também a remover “as algemas que a Ásia tem carregado nos últimos anos” e especifica: vai ajudar a reduzir a inflação, a melhorar os défices por conta corrente e irá impulsionar o consumo e os lucros da região.

Na opinião do especialista “a estabilidade no crescimento global, as reformas na Índia e a melhoria da liquidez na região, em conjunto com as avaliações atrativas e os baixos níveis de propriedade, podem significar que, tal como a cabra, depois de anos de solidão os mercados asiáticos vão encontrar terrenos mais férteis”. 

Empresas

Notícias relacionadas

Próximos eventos