Nordea 1 – Emerging Stars Equity Fund: Abordagem exaustiva na avaliação dos riscos de mercados emergentes


A entidade gestora Nordea AM disponibilizou a seguinte informação acerca do fundo Nordea 1 – Emerging Stars Equity Fund, classificado com o selo Blockbuster pela Funds People:

Nordea 1 – Emerging Stars Equity Fund

Breve descrição do fundo

O Nordea 1 – Emerging Stars Equity Fund é uma solução Global Emerging Markets core que investe em empresas ME em todas as regiões e capitalizações de mercado. O processo de investimento baseia-se na abordagem orientada para o bottom-up fundamental onde os gestores de carteiras tentam identificar ações subvalorizadas que têm boas oportunidades de crescimento, mas que atualmente parecem estar mal valorizadas pelo mercado ao se focarem em análises de empresas detalhadas e na sua valorização. A equipa acredita que o Valor Económico Acrescentado (EVA) é o indicador principal da valorização futura de uma empresa e também acredita que é o que o mercado de ações irá eventualmente pagar. Como parte do processo, é integrada uma análise ESG muito rigorosa (Ambiente, Social, Governo). A equipa de investimento é relativamente de longo prazo no seu pensamento e acredita que podem identificar ineficiências fundamentais no mercado durante um horizonte temporal de 1-3 anos. Essencialmente, são stock pickers com uma mentalidade GARP (“Growth-at-a Reasonable-Price”).

O fundo investe em ativos, em empresas com um enfoque particular na sua capacidade para cumprir padrões internacionais para o meio ambiente, sociedade e governo corporativo para se afastar dos mercados emergentes, ex. ao estabelecerem-se como jogadores mundiais.

Principais diferenças face a produtos semelhantes no mercado

  • Performance, rating e sustentabilidade: o sub-fundo ultrapassou em 21 de 27 trimestres e recebeu a classificação de cinco estrelas Morningstar. Além disso, a carteira é menos 61% acentuada em carbono do que o MSCI Emerging Markets Index*.

*BI-USD share class. Data Source – © 2018 Morningstar, Inc. All Rights Reserved as of 30.04.2018. The Morningstar Rating is an assessment of a fund’s past performance – based on both return and risk – which shows how similar investments compare with their competitors. A high rating alone is insufficient basis for an investment decision. Past performance is no guarantee of future results.

  • Encontramos o preço certo de crescimento: esforçamo-nos bastante para definir um preço nas oportunidades atuais mas também de crescimento futuro das empresas. A nossa tomada de decisões orientada para o processo constante reduz o risco de tendências indesejadas, e os fluxos de caixa livres (EVA) orientam, em última instância, o valor do acionista. Procuramos áreas de crescimento estruturais atrativas e focamo-nos em oportunidades de má valorização de médio prazo. Além disso, é integrada uma análise ESG rigorosa. Aliada a uma análise empresarial bottom-up profunda e uma grande concentração na valorização de empresas, é criada uma combinação única de research fundamental e ESG. Consequentemente, apenas empresas com bons prospetos de crescimento, que transacionam valorizações atrativas, com padrões socialmente responsáveis elevados são tidas em conta. Historicamente, a seleção de ações bottom-up tem sido o nosso driver de performance chave.
  • Temos uma abordagem mais exaustiva para avaliar os riscos de mercados emergentes: investir em mercados emergentes implica ter exposição não só a riscos financeiros regulares (previsões em falta) como também a riscos regulatórios, políticos, idiossincráticos e especialmente tail risks. Esses riscos não podem ser normalmente avaliados usando dados quantitativos tradicionais. Combinamos análises fundamentais tradicionais com uma cobertura ESG exaustiva para avaliar e gerir melhor os fatores de risco intrínsecos de mercados emergentes e para apresentar valor acionista sustentável. Consequentemente, a nossa carteira tem uma tendência de qualidade diferente.

Objetivos de investimento

O objetivo do sub-fundo é fornecer aos acionistas uma valorização de capital de longo prazo. Os objetivos do fundo são:

  • Ultrapassar consistentemente mercados emergentes globais por 300 pbs por ano (gross of fees) durante um ciclo de investimento completo, focando-se em empresas que podem apresentar valor acionista de forma sustentável.
  • Para alcançar este retorno em excesso dentro de um intervalo de tracking error entre 4% e 6% (que se traduz em rácio de informação de 0,5-0,75).
  • O fundo tem como benchmark o MSCI Emerging Marlets – Net Return Index (USD).

Abordagem de investimento

A construção da carteira foca-se na criação de uma carteira equilibrada das melhores ideias bottom-up. A nossa análise fundamental minuciosa permite uma avaliação constante do risco e recompensa ao nível da ação. Pretendemos tirar a maioria do risco na seleção de ações, uma vez que é aqui que acreditamos poder acrescentar a maioria do valor e minimizar riscos de fatores. Quando se tomar decisões de investimento, o nível de convicção no caso de investimento bem como no nível de vantagem de valorização determina o tamanho da posição. Estes são os principais parâmetros, mas também temos em consideração o encaixe do risco dentro da carteira (liquidez, qualidade, fatores, tendências, etc.). As posições têm ponderações ativas de 75 pbs a 500 pbs dependendo principalmente nas avaliações de liquidez, qualidade, retorno e risco.

Restrições de investimento

Por posição

Título individual: 10% em termos absolutos ou 5% em termos relativos.

Geográficas

Mercados emergentes. Um só país não pode ter mais de 20% da carteira.

Setoriais

Sem restrições.

Benchmark e tracking error

O fundo tem como benchmark o MSCI Emerging Markets – Net Return Index.

O tracking error médio histórico é de 5,1%.

Número de títulos e rotatividade:

Número de títulos: 48-

O número médio de títulos é 54.

A rotatividade1 do portefólio tem sido a seguinte nos últimos três anos:

  • 2015: 40.9%
  • 2016: 62.3%
  • 2017: 54.2%

Política de risco

A Nordea Asset Management tem procedimentos de Gestão de Risco implementados. No entanto, a política da Nordea é não revelar esse documento.

Na Nordea, a gestão de risco e o cumprimento de matrizes de investimento são considerados uma parte essencial no funcionamento do negócio. Assim, a Nordea Asset Management construiu uma plataforma sólida onde o risco é medido e monitorizado a três níveis diferentes:

1

NIM AB: Nordea Investment Management AB

NIM AG: Nordea Investment Management AG

NIM NAI: Nordea Investment Management North America, Inc.

NAM: Nordea Asset Management

1º nível: as equipas de investimento (tanto boutiques internas e externas) estão encarregues de supervisionar e monitorizar o risco dentro dos seus próprios portfolios, tais como a adesão dos limites de exposição e processo e das matrizes de mandato. As boutiques internas são apoiadas pela equipa de Análise de Performance e Risco que realiza uma análise de performance e de risco independente e exaustivo regularmente.

2º nível: a Nordea Investment Management Middle Office Risk Management segue a adesão a restrições aplicáveis, limites e barreiras relacionadas com o risco a nível do fundo diariamente. Asseguram que as possíveis lacunas são detetadas, intensificadas se necessárias e tomam-se ações corretivas de imediato. Assim, o Nordea Middle Office controla os limites de risco externos e internos (tal como a exposição gobal, VaR, risco de liquidez, exposição de contraparte) e desempenha backtests e testes de stress. Todos os controlos desempenhados e possíveis questões identificadas são devidamente reportadas ao 3º nível de controlo.

3º nível: o terceiro nível de controlo é assegurado pela Gestão de Risco, função que trata da revisão e avaliação dos relatórios recebidos e contribuições das funções de controlo anteriores. O terceiro nível também é responsável pelo seguimento relativamente a qualquer agravamento dos participantes acima mencionados, assegurando um processo de correção preciso e sem problemas, se necessário.

Política de liquidez

Tal como mencionado acima, o risco de liquidez do portfolio da Nordea Asset Managemet é medido pela NIM AB Middle Office Risk Management (2º nível de controlo). O processo de gestão de risco de liquidez da NAM está detalhado no seguinte documento: http://www.nordea.lu/sitemod/upload/root/z-temp/staticlinks/internal-liquidity-monitoring-process.pdf

Cobertura cambial

O fundo não usa cobertura. Assim, está totalmente exposto a risco FX dos títulos subjacentes.

Uso de derivados

O sub-fundo pode usar derivados para alcançar uma gestão de carteiras eficiente ou com o objetivo de reduzir o risco e/ou gerar capital ou rendimento adicional. Normalmente, o fundo não usa alavancagem.

Ainda assim, em termos práticos, o fundo nunca usou derivados ou alavancagem e pode ser considerado um “plain vanilla long only equity fund”. A única exceção a isto era durante a fase de origem da carteira, quando no lado operacional a avaliar determinados mercados – tal como a Índia – ainda não era possível e o PM teve de depender no uso de certos instrumentos de derivados específicos para implementar as suas convicções.

 

[1] Please refer to the appendix for the Portfolio Turnover Rate principles.

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido