Tags: Negócio |

NB Tesouraria Ativa: o melhor fundo de curto prazo de 2016


Fundos que investem em "ativos de elevada liquidez, sendo que mais de 50% dos activos em carteira devem ter prazo de vencimento residual inferior a 12 meses”. Esta é a definição da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios - APFIPP - para os fundos de curto prazo, que anteriormente eram denominados de fundos de tesouraria.

A Associação enquadra nesta categoria nove produtos, com o melhor do ano passado a ser o NB Tesouraria Ativa que é gerido por Amit Maugi, da GNB Gestão de Ativos. Em 2016 registou uma rendibilidade de 1,15%, sendo o único produto do segmento que registou ganhos superiores a 1%. Na ficha do produto, relativa ao último mês de 2016, o gestor referiu que a "exposição a dívida pública de curto prazo", a "redução da yield da divida pública alemã" e ainda a "exposição a setores mais cíclicos" teve impacto positivo no fundo. Do lado oposto, a "exposição a obrigações de taxa variável" não deixou o produto ter uma melhor rendibilidade em dezembro passado.

O gestor perspetiva, também, que o "crédito continua a apresentar-se como uma classe de ativos atrativa, principalmente numa conjuntura de taxas de juro baixas, spreads ainda a níveis historicamente elevados e com um significativo aumento da liquidez no mercado secundário".

No final de dezembro, o fundo geria mais de 38 milhões de euros, com cerca de 55% do seu portefólio a estar aplicado em obrigações corporate, com as obrigações governamentais a representarem cerca de um quarto da carteira.

Acima de 0,5% de ganhos encontramos mais um fundo: o Banco BIC Tesouraria categoria B que está denominado em euros e é gerido pela Dunas Capital. No ano passado a sua rendibilidade fixou-se em 0,95% com o património a superar a marca dos 30 milhões de euros. De acordo com a ficha do produto, referente ao final de dezembro, os gestores resposáveis pela fundo - Pedro Fernandes e Pedro Alves - revelam que o "fundo Banco BIC Tesouraria subiu 0,07% no mês de Dezembro, sem nenhum destaque em particular".

Restantes abaixo de 0,5%

Os restantes produtos da categoria não conseguiram atingir um desempenho superior a 0,5% no decorrer do ano passado. Aquele que ficou mais próximo foi o Montepio Tesouraria, da Montepio Gestão de Activos. No ano passado a sua rendibilidade atingiu os 0,47%, com o seu património a ultrapassar os 43 milhões de euros. Segundo os dados disponibilizados, a carteira está equilibrada a meio, com uma metade a estar aplicada em obrigações e a outra metade a investir em liquidez.

Os fundos de curto prazo com rendibilidade positiva em 2016

Curto_Prazo_2016

Fonte: APFIPP no final de 2016

 

Profissionais
Empresas

O Mais Lido