MX-5 e as Bodas de Prata!


Há 25 anos atrás, mais concretamente em Fevereiro de 89, no salão automóvel de Chicago, o Mazda MX-5 era apresentado ao Mundo!

O impacto foi de tal forma marcante, que rapidamente a procura suplantou a capacidade de fornecimento e revolucionava-se o conceito dos ‘roadsters’.

Motor longitudinal dianteiro, tracção traseira e peso inferior a 1.000kg, eram ingredientes para criar uma receita de sucesso!

Ficou conhecido por 'Miata' nos Estados Unidos, 'Eunos' no Japão e MX-5 na Europa. Esta famosa sigla acabou por nascer das palavras 'Mazda Experimental', enquanto que o '5' aparece por se tratar do quinto de uma série de vários projectos 'concept’ que a Mazda vinha desenvolvendo.

A primeira geração, conhecida por ‘NA’, facilmente reconhecida pelos seus característicos faróis escamoteáveis, foi inicialmente lançada com um motor 1.6 de 115cv e uma distribuição de pesos perfeita de 50/50, sendo mais tarde (em 1993) ‘castrado’ para uns módicos 90cv para cumprir com regulações sobre emissões poluentes. Nessa mesma altura, surge um 1.8 com 130cv que veio animar ainda mais o factor ‘zoom-zoom’ do pequeno roadster.

Em 1999, o MX-5 é alvo de um profundo restyling e é apresentada a 2ª geração do MX-5, a versão ‘NB’. Os emblemáticos faróis escamoteáveis dão lugar a novas ópticas em forma de amêndoa e toda a carroçaria ganha um ar mais encorpado e musculado.

A capota de acionamento manual ganhou um óculo traseiro em vidro com desembaciador. O motor 1.6 passa a debitar 110cv, ao mesmo tempo que o 1.8 sobe para uns expressivos 140cv. Dois anos mais tarde, o 1.8 viria a sua potência subir para 146cv e ganha uma caixa manual de 6 velocidades.

A 3ª geração ‘NC’, foi apresentada ao mundo por altura do Salão de Genebra de 2005! Estreava um novo motor de 2.0 com 160cv, marcando um carácter bastante mais desportivo da versão de ‘topo’, enquanto que o 1.8 via a sua potência fixar-se em 126cv, acentuando um carácter mais pacato, mais ‘cruiser’.

 

Com um peso pouco superior a 1.150kg, mantendo a famosa repartição ideal de pesos e contando com a presença de um diferencial auto-blocante, as promessas de diversão ao volante estavam mais do que garantidas!

O comportamento do MX-5 2.0 é digno de muitos desportivos de renome e a satisfação que se obtém ao volante de uma máquina com estas características, a par com a facilidade com que se imprimem andamentos viciantes, só é comparável a rivais cujo preço permitiria comprar senão 2, talvez mesmo 3 MX-5!

Actualmente é possível optar por versões com a tradicional capota manual em lona ou, como no caso da versão 'Roadster Coupé', por um tecto rígido retráctil de accionamento semiautomático. Bastam 12seg e já rolamos a céu aberto!

Sem ser um campeão das listas de equipamento, ou das mordomias tecnológicas que hoje habitualmente se encontram em carros com estas características, tudo está pensado no condutor e no prazer que este vai encontrar aos seus comandos. A simplicidade joga a seu favor e nem mesmo um espaço habitável ‘à justa’ ou um preço de quase €40.000 nos vão impedir de manter um rasgado sorriso à medida que acumulamos quilómetros atrás do volante!

Em 2014, o MX-5 está de Parabéns, completando as bodas de prata, arrastando uma incontável legião de fãs pelo mundo inteiro, tendo inclusivamente conquistado o direito à presença no livro de records do Guiness como o roadster mais vendido no mundo!

Veja aqui o vídeo de mais um extraordinário test drive realizado por Pedro Bastos. 

O Mais Lido