MS INVF - Short Maturity Euro Bond Fund: Vastos recursos de uma empresa global


A entidade gestora Morgan Stanley IM disponibilizou a seguinte informação acerca do fundo Morgan Stanley Investment Funds - Short Maturity Euro Bond Fund, classificado com o selo Blockbuster pela Funds People:

Breve descrição do fundo

O objetivo de investimento do Short Maturity Bond Fund da Morgan Stanley Investment Funds (MS INVF) é fornecer uma taxa relativa de retorno atrativa ao nvestir em títulos fixed income investment grade também denominados em Euros com o máximo de tempo de maturidade normalmente menos do que cinco anos.

O fundo investe principalmente em “investment grade” e obrigações emitidas por governos.

Acreditamos que os participantes do mercado podem, regularmente, não calcular corretamente o risco de incumprimento da obrigação de um emitente, o que resulta em preços de obrigações que falham em refletir o verdadeiro perfil de crédito de um emitente. Dito isto, a equipa acredita que o mercado, com o passar do tempo, vai reavaliar os preços das obrigações de emitentes de alta qualidade baseando-se numa melhoria do perfil de crédito, deste modo, pode oferecer aos investidores em emitentes subvalorizados, a oportunidade de potencialmente explorar estes preços ineficientes e ganhar retornos maiores a longo prazo.

Procuramos sempre fornecer os investidores com um nível de diversificação, deflação e controlo de risco.

2. Principais diferenças face a outros produtos no mercado

1. Personalização

Apresentamos os nossos conhecimentos de fixed income sob a forma de uma abordagem personalizada, baseada em soluções que otimizam a aplicação dos nossos recursos globais para os objetivos de investimento do cliente individual. A nossa equipa centra-se no cliente e em todos os aspetos da relação.

O processo de investimento começa com um entendimento do risco e dos objetivos de retorno do cliente. Apesar da informação específica nas diretrizes ser muito importante, em muitas situações os fatores que aprendemos a partir de discussões com os nossos clientes são igualmente ou mais importantes para a gestão do seu portefólio. Consequentemente, vemos a criação de fortes linhas de comunicação com os nossos clientes como uma parte crucial do processo.

2. Vasta experiência com um longo historial

Os nossos clientes beneficiam do historial e da vasta experiência dos gestores de portefólio. O MSIM tem ativamente feito research e investido nos mercados de fixed income, particularmente em obrigações de empresas desde 1975 e em fixed income europeu desde 1990. Começámos a gerir portefólios de crédito investment grade dos EUA nos anos 90 e em portefólio de crédito European and Global Investment Grade no início dos anos 2000.

3. Right-sized

Como gestor médio de ativos, temos a profundidade e a amplitude para fornecer os nossos clientes com opções que oscilam entre estratégias altamente personalizadas e opções de fundo padronizadas. Beneficiamos de uma estrutura coesa e colaborativa que mistura alocação de ativos top-down com research bottom-up. A estrutura é baseada em pequenas equipas de especialistas da área que representam vários setores de fixed income permitindo que, confidencialmente, implementemos temas nos portefólios. A equipa de alocação de ativos seleciona os melhores setores, as nossas equipas de research escolhem as melhores obrigações em cada setor, os nossos gestores de portefólios constroem portefólios baseados nas metas de alocação ao compreender os objetivos e limitações de cada cliente.

4. Vastos recursos de uma empresa global

Os membros da equipa de investimento tiram proveito dos recursos da nossa empresa de serviços globais financeiros, oferecendo aos clientes uma poderosa vantagem estratégica. O MSIM tem uma equipa coesa de especialistas de fixed income em Nova Iorque, Londres, Singapura e Tóquio que podem identificar oportunidades de obter retornos nos maiores mercados globais. Eles reúnem uma impressionante experiência de mercado, rigor intelectual e de conquistas académicas. Acima de tudo, a equipa de investimento pode aplicar este conhecimento às atividades diárias de gestão do portefólio. 

5. Gestão de risco intensiva

Ao nível da empresa, a equipa de Global Risk and Analysis opera independentemente das funções do negócio, tais como, os gestores de portefólio, vendas e marketing. Acreditamos que a monitorização do risco independente nos proporciona uma verificação de controlo e um sistema de balanço entre a Gestão de Investimento e a Gestão de Risco. O Chefe da Gestão de Risco monitoriza a equipa de risco de investimento do GRA que consiste em divisões que cobrem o Risco de Investimento, o Research Quantitativo e Modelo de Revisão, o Risco de Contraparte e o Risco Operacional.

Ao nível da estratégia, integramos a gestão de risco em todas as fases da construção do portefólio para assegurar: 1) a alocação do orçamento de risco dentro do espectro dos ativos de fixed income ajuda a maximizar os retornos por unidade de risco; 2) prestamos especial atenção às correlações, o que nos permite combinar riscos para assegurar que nenhum risco domina; 3) equilibrar risco de taxas de juro com risco de spread.

Objetivo do investimento

Temos como objetivo gerar retornos superiores a longo prazo, relativos ao universo dos títulos Euro Fixed Income durante um ciclo de mercado completo de três a cinco anos.

Definimos um objetivo de superação do benchmark por aproximadamente 75-100 pontos base brutos durante um ciclo de mercado completo de três a cinco anos.

Além disso, não gerimos o fundo com metas de risco e, como tal, não temos objetivo de volatilidade, antecipamos superar a meta de desempenho com um ex-ante tracking error de menos de 150 pontos base por ano, brutos, durante um ciclo de mercado completo.

Limitações do investimento

- Qualidade dos emitentes

O fundo investe em emissões de fixed income denominadas em Euros quer emitidas por empresas, quer por governos ou emitentes garantidos por governos.

Apenas investimos em obrigações com notação de grau de investimento com maturidade máxima de 5 anos.

- Geográficas

O fundo investe globalmente.

- Setoriais

Impomos limites não restritos dos limites do setor, otimizamos alocações ao considerar visão macro, fundamentais de crédito, os títulos são selecionados por um rigoroso processo de research de crédito.

Normalmente, limitamos a exposição da empresa ao emitente para 1% do NAV.

Outro fator é a liquidez ao deter portefólios diversificados de obrigações de alta qualidade, controlamos o risco de liquidez.

Gerimos ativamente o risco de duração (+/- 1 em relação ao benchmark).

Duração

+/- 1 ano em relação ao benchmark.

Benchmark e tracking error

Benchamark: O benchmark é o Bloomberg Barclays Euro-Aggregate Treasury 1-3 Years Index. O benchmark é composto por 100% da dívida soberana.

A Morgan Stanley Investment Management (MSIM) tem experiência em gerir portefólios face a uma variedade de benchmark, incluindo as de maiores fornecedores, tais como, Citigroup e Barclays Capital. Gostamos de gerir o seu portefólio segregado face a um benchmark à sua escolha.

Tracking error: Como acima mencionado, não gerimos o fundo com metas de risco e não temos objetivos de volatilidade. Antecipamos superar a meta de desempenho com um ex-ante tracking error de menos de 150 pontos base por ano, brutos, durante um ciclo de mercado completo.

Número de participações e turnover

À data de 30 de abril de 2018, o número de participações e o turnover era de 170 e 58,35% respetivamente.

Política de risco

A gestão de risco e a adesão às limitações de investimento são parte integrante da nossa gestão de portefólio e é levada a cabo diariamente ao nível do portefólio e empresa. A equipa de investimento é, em última instância, responsável por monitorizar as limitações de investimento. Ao fazer isto, a equipa é, também, auxiliada por um número de unidades independentes. Abaixo, descrevemos a nossa estrutura de gestão de risco.

Nível do portefólio

Quando construímos portefólios de fixed income, temos como objetivo estabelecer uma política de risco consistente como as nossas expectativas de retorno para os nossos clientes. Para o fazer, identificámos medidas de risco específicas para cada dimensão de risco dentro dos nossos portefólios de fixed income. Utilizamos isto para estabelecer o perfil de risco desejado. Ao avaliar as principais métricas da gestão do fixed income, tais como, a duração e sensibilidade do spread do setor, desenvolvemos uma variedade de medidas de risco e modelos proprietários.

Identificámos e monitorizámos os seguintes riscos e definimos abaixo técnicas e modelos utilizados pela equipa:

  • Taxas de juro e risco da curva de yields (Medida de risco: duração; Modelo: a nossa yield curve tem sido desenvolvida internamente e permite-nos perceber as expectativas dos participantes do mercado incorporados em preços de mercado e para determinar a nossa exposição à curva de yield em conformidade).
  • Risco por país (Medida de risco: sensibilidade das taxas de juro para cada país).
  • Setor de risco (Medida de risco: de forma a determinar a nossa exposição aos vários setores do mercado de fixed income e o risco que advém por deter “non-government securities,”, olhamos para a duração geral do spread do portefólio relativa ao index).
  • Risco de emitente (Medida de risco: obrigações de empresas, avaliamos o crédito de risco ao focarmo-nos em quatro fatores chave: Retorno do investimento, fluxo de dinheiro livre previsto, dívida/ valor de mercado previsto, qualidade de gestão. Modelo: modelo de estrutura fundamental.
  • Risco de moeda (Medida de risco: a moeda pode ser mais volátil do que os preços das obrigações. Através do uso de derivados FX, podemos separar a gestão da moeda do resto da decisão do investimento em obrigações. Porém, asseguramos que o valor do ex-ante do risco vindo do perfil de moeda dos investimentos de obrigações é apropriado ao risco que retiramos da gestão de obrigações).
  • Risco de incumprimento (Medida de risco: Risco de incumprimento é monitorizado ao assegurar a diversidade do portefólio com tamanho e posição apropriados para minimizar o risco idiossincrático.  
  • Risco de volatilidade de mercado (Medida de risco: o tail risk da volatilidade é monitorizado ao utilizar métricas de risco, tais como, tracking error.
  • Risco de liquidez (Medida de risco: Risco de liquidez é constantemente revisto como parte da construção do portefólio e processo de manutenção).

Nível de empresa

Há três outras áreas da empresa que partilham a responsabilidade de assegurar o cumprimento com as diretrizes do cliente: o departamento de Trading, o departamento de Compliance, o departamento e a equipa de Risco Global e Análise (GRA). O portefólio é monitorizado constantemente para assegurar o cumprimento das diretrizes e políticas de investimento. A BlackRock Solutions Aladdin verifica todas as restrições quantificáveis e os títulos restritos para cada uma, tanto antes como depois, é realizado um “trade”. No modo pre-trade, os gestores de portefólio, os traders e a equipa de Compliance são alertados sempre um trade proposto viola uma diretriz de investimento e requer que uma pessoa autorizada reveja o potencial trade e que anule a restrição se apropriado.

O departamento de Compliance da MSIM usa tanto processos automatizados como manuais para monitorizar as diretrizes (pré e pós trade) e assegurar a vigilância adequada das contas dos clientes. O departamento de Compliance monitoriza o cumprimento com diretrizes de investimento diariamente. Diariamente, o departamento de Compliance revê os resultados do post-trade no Aladdin e contacta as equipas de investimento se forem identificadas violações. O departamento de Compliance também exige que a equipa de investimento certifique a continuidade do compliance com as diretrizes de investimento numa base trimestral. No caso de as diretrizes do mandato serem violadas, o MSIM tem procedimentos de compliance em vigor para retificar a situação.

A equipa do GRA realiza relatórios detalhados para cada programa de investimento mensalmente, concentrando-se no tracking error, R-squared, Beta, Information Ration e em exposições absolutas e relativas face ao benchamark. A equipa utiliza uma gama de “vendor-based” e sistemas proprietários para dirigir esta análise. O relatório para cada estratégia de investimento está disponível para os gestores de portefólio, especialistas do produto, para equipas menos especializadas e para o comité de risco geral da empresa.

A MSIM tem vários controlos internos em vigor para garantir o compliance com todas as leis e regulações aplicáveis, fornecendo um serviço superior aos nossos clientes e para ajudar a salvaguardar o franchise da empresa e a reputação para a integridade e excelência. Além das equipas acima mencionadas, outras equipas fornecem uma supervisão independente que inclui Internal Audit, Investment Management Technology and Global Operations.

Política de liquidez

O risco de liquidez premium forma uma parte crucial da oportunidade definida para gerar excesso de retorno enquanto o acesso à liquidez do mercado é essencial para gerir o risco e executar a estratégia de valor adicionado.

Para aceder ao Market Liquidity, a MSIM foca-se na execution desk e na equipa gestão de portefólio para trabalhar ativamente com as contrapartes de mercado (muitas vezes referidas como “sellside”) para construir relações com os donos de capital (o trader que gere o risco), o vendas e a syndicate desk (que faz a alocação de novas amissões) para assegurar que as melhores ideias de investimento são eficientemente implementadas com os custos friccionais minimizados.

Monitorizar o risco de liquidez num portefólio é, em primeiro lugar, responsabilidade do gestor de portefólio. Além disso, a equipa de risco independente revê portefólios mensalmente com a liquidez a ser um fator a considerar.

A parte menos líquida do mercado de crédito é vista como uma oportunidade que oferece uma yield mais elevada para determinado risco ou incumprimento. O negócio de crédito da MSIM é adequado ao tamanho para ter a capacidade de executar trocas neste setor do mercado permitindo-lhe ser um alicerce na estratégia ideal de investimento do portefólio. Oa tamanhos das posições são determinados com referência ao nível de liquidez, assim como de outros fatores incluindo a diversificação e os objetivos dos clientes.

Cobertura cambial

Apenas investimos em títulos denominados em Euros e não fazemos cobertura cambial.

Uso de derivados

O fundo pode fazer uso de opções transacionadas em mercado ou OTC, futuros e outros derivados para investimento ou gestão de portefólio incluindo para fins de cobertura cambial consistente com diretrizes de investimento/UCITS.

Notícias relacionadas