Movimentos opostos nos recursos fora de balanço de duas entidades distintas


2018 primou por ser um ano de algum esforço para muitas entidades financeiras. No seu relatório e contas de 2018, o Banco Atlântico Europa indica que “conseguiu manter indicadores robustos significativamente acima dos limites regulamentares obrigatórios”. Embora o resultado do exercício tenha caído acima dos 24% face ao ano anterior, manteve-se positivo, mais concretamente nos 7,14 milhões de euros. A rentabilidade do ativo total,  por seu lado, cifrou-se nos 0,75%, enquanto a rentabilidade dos capitais próprios foi de 11,5%.

Recursos fora de balanço

Os recursos de clientes do balanço e fora de balanço – ambos incluindo clientes particulares, empresas e institucionais – apresentaram tendências opostas.  No caso da primeira rubrica, a variação anual foi negativa em mais de 20%, atingindo os 866,9 milhões de euros, enquanto que os recursos de clientes fora de balanço apresentaram uma subida anual, que, embora modesta, foi superior a 1%, para os 150,3 milhões de euros. Assinale-se que, dois anos antes, esse valor era de 58,8 milhões de euros.

Captura_de_ecra__2019-05-22__a_s_16

 

Fonte: Relatório e Contas 2018 Banco Atlântico Europa

No Banco Montepio, o ano de 2018 apresentou uma tendência oposta. As contas do ano passado da  instituição mostram um decréscimo de 4,7% nos recursos fora de balanço do Banco, o equivalente a menos 33 milhões de euros. Esta rubrica fechou o ano com 676 milhões de euros. Segundo o relatório, esta diminuição reflete “a evolução observada nos Fundos de investimento mobiliário e nos Seguros de capitalização, a par do acréscimo assinalado nos Fundos de Pensões e nos Fundos de investimento imobiliário”.

Captura_de_ecra__2019-05-22__a_s_16

Fonte: Relatório e Contas 2018 Montepio

O Mais Lido