Morgan Stanley Investment Funds (MS INVF) Euro Corporate Bond Fund: Experiência exaustiva, com um forte track record


A entidade gestora Morgan Stanley disponibilizou a seguinte informação acerca do fundo Morgan Stanley Investment Funds (MS INVF) Euro Corporate Bond Fund, ostentando os três selos - Favorito dos Analistas, Blockbuster e Consistente, gerido por Richard Ford:

1. Breve descrição do fundo

O Morgan Stanley Investment Funds (MS INVF) Euro Corporate Bond Fund é um fundo de obrigações orientado para o value que procura retornos totais atrativos de valorização de rendimentos e de preço, ao investir num portefólio globalmente diversificado de dívida denominada em euros principalmente emitida por emissores não relacionados com o governo e empresas. Para ajudar a alcançar este objetivo, a estratégia combina uma avaliação macroeconómica top-down, para determinar um posicionamento beta ideal para o portfolio, com uma análise fundamental bottom-up rigorosa.

2. Principais diferenças entre produtos semelhantes no mercado

1) Experiência exaustiva, com um forte track record

Os nossos clientes beneficiam do nosso forte track record e longa experiência dos nossos gestores de carteiras. A MSIM tem vindo a pesquisar ativamente e a investir no mercado obrigacionista, particularmente em obrigações corporativas, desde 1975 e nas obrigações europeias desde 1990. Começámos a gerir portfolios de crédito dedicados ao U.S Investment Grade nos anos 90 e dedicados aos European and Global Investment Grade Credit portfolios nos anos 2000.

2) Tamanho ideal

Como gestora de ativos de média dimensão temos a amplitude e profundidade de recursos para gerir ativamente carteiras sem a restrição de níveis que limitam a nossa capacidade de transacionar. Beneficiamos de uma estrutura colaborativa e coesa que combina alocação de ativos top-down com research bottom-up. A estrutura baseia-se em pequenas equipas de especialistas de setores que representam os vários setores de obrigações, permitindo-nos implementar com confiança temas de investimento ao longo das carteiras.

3) Recursos extensivos de uma empresa global

Os membros da equipa de investimento fazem uso de todos os recursos da nossa empresa de serviços financeiros global, fornecendo aos clientes uma vantagem estratégica poderosa. A MSIM tem uma equipa coesa de especialistas de obrigações em Nova Iorque, Londres, Singapura e Tóquio que conseguem identificar oportunidades para capturar retornos em todos os maiores mercados do mundo. Eles reúnem uma gama impressionante de experiência de mercado, rigor intelectual e conquistas académicas. Mais importante, a equipa de investimento consegue aplicar este conhecimento nas atividades de gestão de carteiras do dia-a-dia.

A MSIM demonstra um track record competitivo ao longo dos setores de obrigações e contribui com soluções de gestão ativa que refletem oportunidades de mercado. A forte cultura de colaboração assegura que as nossas estratégias refletem totalmente as perspetivas da equipa Global de Obrigações, permitindo que o alfa seja gerado por uma vasta gama de oportunidades de obrigações.

4) Gestão de risco Intensiva

Ao nível da empresa, a equipa global de análise e de risco funciona de forma independente das funções de negócios tal como os gestores de carteiras, vendas e de marketing. Acreditamos que esta perceção de risco independente nos fornece um sistema de balanço e verificação crítica entre a Gestão de Investimento e a Gestão de Risco. O Investment Management Chief Risk Officer supervisiona a equipa de risco de investimento GRA, que consiste em divisões que cobrem o Risco de Investimento, a Avaliação de Modelo e Research Quantitativa, o Risco de Contraparte e Risco Operacional.

Ao nível da estratégia, integramos gestão de risco em todas as fases da construção do portfolio para assegurar: que a alocação de risco de orçamento ao longo do espetro de ativos de obrigações está a ajudar a maximizar retornos por unidade de risco; que prestamos muita atenção às correlações, permitindo-nos misturar riscos idealmente para assegurar que nenhum risco domina; e que estamos a equilibrar o risco de taxa de juro com o risco de spread.

3. Objetivo de investimento

O fundo procura ultrapassar o Bloomberg Barclays Capital Euro Aggregate Corporate Bond Index em 100 pontos base por ano, gross of fees, durante um ciclo de mercado completo.

Embora não façamos a gestão do fundo com limites de risco severos, e não tenhamos um objetivo de volatilidade, prevemos alcançar o nosso objetivo de outperformance, enquanto gerimos um tracking error futuro abaixo dos 250 pontos base por ano.

4. Restrições de investimento:

- Qualidade de emissores

Apenas investment grade na altura de compra. Limite de risco interno de 5% de high yield para títulos downgraded

Para nomes individuais índice emissor mais 100-120 pbs.

- Geográficas

Não existem limites por países.

- Setoriais

Index +/- 10%

5. Intervalos de duração

+/- 1 ano relativo ao benchmark.

6. Benchmark e tracking error

Benchmark

O Blommberg Barclays Capital Euro Aggregate Corporate Bond Index é o benchmark do fundo. Acreditamos que isto é um benchmark baseado no conjunto de oportunidades total. Este benchmark reflete intimamente o universo de obrigações que detemos no fundo. Estamos confortáveis em gerir o nosso fundo contra todos os outros índices de obrigações corporativas bem diversificados. A amplitude e profundidade dos nossos recursos de research de obrigações permite-nos identificar oportunidades de investimento ao longo do espetro de mercados de obrigações certificando que estamos fortemente posicionados em gerir carteiras de crédito.

Tracking error

Tal como mencionado acima, embora não façamos a gestão do fundo com alvos de risco e não tenhamos um objetivo de volatilidade, prevemos alcançar o nosso objetivo de outperformance, enquanto gerimos um tracking error futuro abaixo dos 250 pontos base por ano.

Tracking errors históricos para o fundo, durante os últimos cinco anos:

5 anos: 1,32

2017: 0,67

2016: 2,44

2015: 0,96

2014: 0,67

2013: 0,95

2012: 3,28

Notas adicionais:

Dados de 31 de dezembro de 2017. Os parâmetros de risco acima refletem o MS INVF Euro Corporate Bond Fund. Os valores baseiam-se em performance bruta, em euros (moeda base). O benchmark é o Bloomberg Barclays Euro-Agreggate Corporate Index. Tenha em atenção o calendário anual, o tracking error pode ser estatisticamente irrelevante devido ao número pequeno de observações mensais.

7. Número de títulos e rotatividade

No dia 30 de abril 2018, o número de títulos e rotatividade era de 392 e 30,8%, respetivamente.

8. Política de risco

A gestão do risco e a adesão a restrições de investimento são essenciais no nosso processo de gestão de carteiras e é realizado ao nível do portfolio e de empresa diariamente. A equipa de investimento é, em última instância, responsável por monitorizar as restrições de investimento. Ao fazê-lo, a equipa também é auxiliada por algumas unidades independentes. Descrevemos abaixo o nosso quadro de gestão de risco.

Ao nível do portfolio

Quando construímos carteiras de obrigações, pretendemos estabelecer um perfil de risco consistente com as nossas expectativas de retorno para os nossos clientes. Para o fazer, identificámos medidas de risco específicas para cada dimensão das métricas de risco da gestão de obrigações, tal como a sensibilidade do spread de duração e setor, desenvolvemos uma variedade de medidas de risco e modelos proprietários.

Identificámos e monitorizámos os riscos seguintes; para cada risco definidos abaixo, tenha em atenção as técnicas e modelos específicos abaixo usados pela equipa e colocámos em parêntesis as técnicas e modelos específicos usados pela equipa.

Risco da curva de yield e da taxa de juro (Medida de risco: duração, modelo: o nosso modelo de curva de yield foi desenvolvido in-house e permite-nos compreender as expectativas dos participantes do mercado incorporadas nos preços de mercado e determinar a nossa exposição à curva de yield, em concordância).

Risco de país (Medida de risco: sensibilidade à taxa de juro para cada país).

Risco de setor (Medida de risco: para determinar a nossa exposição aos vários setores do mercado de obrigações e do risco que vem dos próprios títulos não governamentais, olhamos para a duração do spread geral do portfolio relativamente ao índice).

Risco de emissor (Medida de risco: para obrigações corporativas, acedemos ao risco de crédito ao focar os nossos quatro fatores-chave: retorno no investimento, fluxo de caixa livre previsto, valor de mercado de dívida/esperada, qualidade de gestão. Modelo: modelo estrutural fundamental

Risco cambial (Medida de risco: as divisas podem ser mais voláteis do que os preços das obrigações. Através do uso dos derivados FX podemos separar a gestão cambial do resto da nossa decisão de investimento de obrigações. Contudo, certificamo-nos que o montante ex-ante risco acrescido do perfil cambial dos nossos investimentos obrigacionistas é adequado ao risco que corremos da gestão de obrigações).

Risco de default (Medida de risco: o risco de default é monitorizado ao assegurar um portfolio diversificado com tamanhos de posições adequados para minimizar riscos idiossincráticos).

Risco de volatilidade de mercado (Medida de risco: o tail risk de volatilidade de mercado é monitorizado usando medidas de risco tais como o tracking error).

Risco de liquidez (Medida de risco: o risco de liquidez é constantemente avaliado como parte do processo de manutenção e construção de carteira).

Ao nível de empresa

Há outras três áreas da empresa que partilham responsabilidade por assegurar o cumprimento de matrizes dos clientes: o departamento de trading, o departamento de compliance e a equipa global de análise e risco. O portfolio é monitorizado constantemente para assegurar o cumprimento das matrizes e políticas de investimento. A BlackRock Solutions Aladdin verifica todas as restrições quantificáveis e títulos restritos para cada conta, ambos antes e depois de uma transação ser efetuada. No modo pré-transação, os gestores das carteiras, traders e staff do compliance são alertados de todas as vezes que uma transação proposta infringe uma matriz de investimento e são exigidos a terem uma pessoa autorizada para rever a possível transação e anular a restrição, se adequado.

O departamento de compliance da MSIM utiliza ambos os processos automáticos e manuais para monitorizar as matrizes (pré e pós-transação) e assegura uma vigilância adequada das contas dos clientes. O departamento de compliance avalia os resultados pós-transação na Aladdin e contacta a equipa de investimento se alguma violação for identificada. O departamento de compliance exige também que a equipa de investimento certifique o seu cumprimento contínuo das matrizes de investimento trimestralmente. Caso as matrizes sejam violadas, a MSIM tem procedimentos de cumprimento preparados para retificar a situação.

A equipa GRA produz relatórios em profundidade para cada programa de investimento mensalmente, focando-se no tracking error, R-sqaured, Beta, Information Ratio e exposições absolutas e relativas versus o benchmark. A equipa usa uma gama de sistemas proprietários e baseados no fornecedor que realizam esta análise. Reportar cada estratégia de investimento é possível para os gestores de carteiras, especialistas de produtos, bem como gestão divisionária e o comité de risco a nível da empresa.

A MSIM tem vários controlos internos preparados para assegurar o cumprimento de todas as leis aplicáveis e regulações, fornecer um serviço superior aos nossos clientes e ajudar a salvaguardar o franchise e a reputação da empresa para a integridade e excelência. Além das equipas supramencionadas, as equipas que fornecem uma perceção independente são a Auditoria Interna, Legal, Operações de Gestão de Investimento Globais e de Tecnologia.

9. Política de liquidez

O prémio de risco de liquidez é uma parte essencial do conjunto de oportunidades para gerar retorno em excesso enquanto o acesso à liquidez de mercado é fundamental para gerir o risco e executar a estratégia acrescida ao valor.

Para aceder à liquidez de mercado, a MSIM olha para a equipa de gestão de portfolio e para a mesa de execução de obrigações para trabalhar ativamente com contrapartes do mercado (referidas frequentemente como “sellside”) para construir relações com os donos do capital (o negociante que gere o risco), o vendas e a mesa de sindicato (que aloca novas emissões) para assegurar ideias melhores de investimento são implementadas eficazmente com os custos friccionais minimizados.

Monitorizar o risco de liquidez num portfolio é primeiramente da responsabilidade do gestor de carteiras. Além disso, a equipa de risco independente avalia carteiras mensalmente sendo a liquidez o fator a considerar.

A parte menos líquida do mercado de crédito é vista como uma oportunidade que oferece uma yield mais elevada para um dado risco de default. O negócio de crédito da MSIM tem o tamanho certo para haver capacidade de executar transações neste setor do mercado permitindo ser um bloco de construção na estratégia de investimento do portfolio ideal. Os tamanhos das posições são determinados com referência ao nível de liquidez bem como outros fatores incluindo objetivos de diversificação e de clientes.

10. Cobertura cambial

Compramos títulos principalmente denominados em euros, embora o fundo possa investir em títulos de obrigações denominados em moedas sem ser o euro.

Iremos fazer a cobertura para euros, qualquer exposição cambial usando forwards FX.

11. Uso de derivados

O fundo pode fazer uso de opções over-the-counter e trocas transacionadas, futuros e outros derivados para investimento ou gestão de carteiras eficiente incluindo fins de cobertura consistente com as matrizes de investimento/UCITS.

Empresas

Notícias relacionadas

Anterior 1 2 Siguiente

O Mais Lido