Montante em fundos estrangeiros de obrigações cresce 60% em 2019 nas carteiras das gestoras de patrimónios


Dados divulgados pela Associação Portuguesa de Fundos, Pensões e Patrimónios (APFIPP), mostram que os montantes geridos pelo agregado das entidades gestoras de patrimónios, suas associadas (91,3% do mercado nacional, com base em dados da CMVM), decresceu ligeiramente em setembro (-0,319%), muito embora o ano de 2019 tenha sido muito positivo para os ativos sob gestão. Nos primeiros nove meses do ano estes cresceram 4,2% ou um montante absoluto de 2.457 milhões de euros. 

bb

Face aos valores que se verificavam no final de 2018, os maiores crescimentos verificaram-se nas rubricas de dívida pública e fundos mobiliários, cujo peso na carteira cresceu em detrimento de classes de ativos como as ações, obrigações corporativas, fundos imobiliários e liquidez. 

Dentro da alocação a veículos de investimento geridos por terceiros, no entanto, observamos um crescimento dos ativos em fundos nacionais, nas diferentes classes de ativos, bem como um crescimento significativo, de mais de 60% ou 1.059 milhões de euros, na rubrica de fundos de obrigações estrangeiros. O total de ativos em fundos mobiliários cresceu 942 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano. 

AA

 

 

Notícias relacionadas

Anterior 1 2 Siguiente

O Mais Lido