Metais preciosos reforçam posição no radar dos investidores, mas tecnologia permanece a mais subscrita


Nada parece ser capaz de destronar o tema da tecnologia do topo das preferências dos investidores. Os meses de julho e agosto refletiram uma vez mais o domínio deste tema de investimento nas subscrições dos clientes do Banco Carregosa e Banco Best, ainda que se tenha assistido a um interesse acrescido por fundos de outras especialidades.

No caso do Banco Best, a predominância tecnológica faz-se representar não só na especificidade da Inteligência Artificial, com o fundo Allianz Global Artificial Intelligence, como também em termos mais abrangentes com o BlackRock World Technology e o Franklin Technology. Já do lado do Banco Carregosa, é o Pictet Robotics que marca a presença deste setor entre os fundos mais subscritos pelos clientes do banco.

Contudo, Tiago Gaspar, responsável pela análise e seleção de fundos do Banco Carregosa, realça a estreia de um setor que “surgiu pela primeira vez neste ano na lista dos mais subscritos”: o das empresas mineiras de materiais preciosos, representado pelo fundo BlackRock Global Funds World Gold. Esta tendência também se faz sentir nas preferências dos clientes do Banco Best, em que a escolha recaiu sobre os fundos Franklin Gold & Precious Metals e Invesco Gold & Precious Metals.

Preferências mistas nas classes de ativos

São vários os catalisadores que influenciam as preferências dos investidores em termos de alocação a diferentes fundos e classes de ativos. Contudo, no contexto global atual, as situações económicas e sanitárias assumem uma preponderância maior. Segundo assume Tiago Gaspar, “o facto de se verificar uma recuperação económica gradual a par de um sistema de saúde que hoje está mais capaz de lidar com os surtos pontuais tem permitido maior conforto dos investidores e consumidores”. Contudo, as ameaças ainda não estão extintas e, assim, “os fundos de obrigações continuam a suscitar o interesse”, daí continuarem a representar uma fatia significativa dos fundos mais subscritos.

Em sentido contrário, Rui Castro Pacheco, diretor-adjunto do Banco Best, relata que registaram um mês “sem qualquer fundo de obrigações entre os mais subscritos, num top dominado pelos fundos de investimento em ações e duas escolhas em fundos multiativos”. Novamente, as preferências dos clientes desta entidade recaem fortemente para o Acatis Gané Value Event, “um fundo com uma gestão muito simples que apenas investe em ações e obrigações, sem qualquer exposição via instrumentos derivados”, indica o profissional. Não obstante, é também evidente algum nível de prudência nas escolhas dos investidores, com a manifestação do MFS Prudent Wealth, “um fundo relativamente prudente na sua abordagem ao risco que inclui na carteira”, entre os mais subscritos.

mais_subscritos

(Clique na imagem para ampliar)
Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

Em temas de robôs, gestor ativo é rei

Num recente encontro entre profissionais da gestão de ativos, promovido pela gestora DNB, debateu-se o investimento temático, o papel da atual crise pandémica como catalisador para a aceleração de tendências, e a importância da “mão humana” na seleção de títulos.

O Mais Lido