Tags: Negócio |

Mercado Nacional dos FIM acumula subscrições líquidas de 1.203,8 milhões de euros em 2013


Os números da APFIPP relativos ao mês de Junho revelam que o valor dos activos geridos pelos fundos de investimento mobiliário (FIM) cresceram 0,6% relativamente ao mês anterior, ascendendo aos 13.495,9 milhões de euros. Os montantes sob gestão têm crescido desde o ínicio do ano na ordem dos 10,0%, enquanto que nos últimos 12 meses o aumento foi de 21,9%.

Susana Vicente, head of investment na ESAF, realça que “o ano de 2013 tem registado um contexto de subscrições líquidas em fundos de investimento, resultado principal de um ambiente mais propício à tomada de risco quando o custo de oportunidade baixa.” Desta forma a especialista sublinha que os fundos de investimento aparecem como uma boa alternativa de poupança, dado o seu potencial de rendibilidade.

Ainda no mês de Junho, o volume de captações foi de 978,5 milhões de euros, enquanto as saídas registaram o valor de 761,4 milhões de euros. Assim o saldo líquido foi positivo no valor de 217,1 milhões de euros. A contar desde o início do ano, positivo foi também o saldo líquido acumulado de subscrições menos resgates que se situou no valor de 1.203,8 milhões de euros.

Susana Vicente, realça que, no entanto, “o interesse por parte dos investidores se tem centrado, principalmente, ao nível dos fundos com um perfil de risco mais conservador, nomeadamente em fundos de crédito de curto prazo”.

Neste sentido, a categoria de fundos que registou o maior saldo líquido de entradas menos saídas no mês de Junho foi exactamente a dos fundos especiais de investimento (FEI) de curto prazo, com 151,3 milhões de euros, seguida pela dos FEI Monetário de Curto Prazo com 39,9 milhões de euros, e pela dos outros FEI, com 39,0 milhões de euros.

Na sequência das entradas de dinheiro, as categorias com mais activos sob gestão são a dos FEI de curto prazo com 2.473,6 mihões de euros, seguida dos fundos de tesouraria euro com 1.408,2 milhões de euros, representando respectivamente 44% e 14,8% da composição do mercado de FIM.

Notícias relacionadas

O Mais Lido