Tags: Movimentos |

Manuel Vasconcelos (Banco BIC): “Somos o Banco que se relaciona com o maior número de sociedades gestoras nacionais independentes”


Numa entrevista na revista número quatro da Funds People Portugal - referente ao primeiro trimestre de 2014 - Manuel Vasconcelos, diretor da Direção de Mercado de Capitais do Banco BIC, destacava a preservação de capital, otimização do binómio risco/retorno e a diversificação como os fatores chave na estratégia de gestão das carteiras de investimento do Banco BIC. Três anos depois, esses fatores mostram os seus resultados, patentes em retornos positivos associados a uma volatilidade controlada e adequada a cada perfil de risco. Desde o seu arranque, em outubro de 2013, as carteiras nunca tiveram um ano negativo. Manuel Vasconcelos explica que os resultados derivam de uma gestão com base “em perdas máximas indicativas, gerindo o risco de forma dinâmica e de acordo com as características de cada perfil de investimento”. A equipa coloca o enfoque na escolha das classes de ativos, e não se concentra a fazer investimentos diretos em single name, visto que para essa função tem os seus parceiros, que o fazem na gestão dos fundos marca Banco BIC. Adicionalmente, aponta o Brasil como uma fonte dos bons resultados em 2016, considerando que até as carteiras de perfil moderado incluíam uma alocação a este mercado.

Nesta gestão, a equipa não fecha os olhos a nenhuma classe de ativos, desde que apresente potencial. Manuel Vasconcelos destaca o ouro, como um dos ativos que apreciam, bem como o cash como classe de ativos. “Gostamos de cash, e não nos importamos de ter mais de um quarto da carteira alocada a liquidez. É para nós uma verdadeira classe de ativos com correlação nula com as restantes e que permite diminuir o risco da carteira, ao mesmo tempo que tem um papel de ‘munição’, para eventuais oportunidades”, realça o profissional.

Reforço da equipa

Com uma equipa relativamente pequena, que integrou recentemente Miguel Moedas – vindo da Banif Gestão de Ativos, onde executava funções de gestor -  a Direção de Mercado de Capitais do Banco BIC caracteriza-se, segundo Manuel Vasconcelos, em primeira análise, pela sua independência. “Somos o único Banco que trabalha com tantas gestoras nacionais de forma independente”, refere, acrescentando depois outras duas caraterísticas: a simplicidade e a transparência. “Não gostamos de processos de investimento complicados”, enfatiza. O profissional fala também das qualidades da oferta de serviços da instituição financeira em funções de banco depositário prestadas a entidades terceiras, bem como da diversidade de fundos de terceiros que o Banco distribui, incluindo a mais recente parceria de distribuição com a IM Gestão de Ativos.

Da oferta de quatro fundos de investimento com a marca Banco BIC, o diretor da entidade destaca a rendibilidade histórica desde o arranque do fundo Banco BIC Tesouraria (em 2016: +0,95%), a performance relativa do fundo Banco BIC Brasil (em 2016: + 19,41%), e o seu veículo UCITS Banco BIC Obrigações Global (em 2016: +4,30%). Por outro lado, dá realce também às parcerias de gestão que o Banco tem com a Dunas Capital, a BRZ Investimentos e a Nevastar Finance, cada uma com o seu know-how específico e capacidade para adicionar valor em segmentos díspares, permitindo à equipa de Mercado de Capitais do Banco BIC concentrar as atenções naquilo em que é especialista: a alocação.

(Na foto, da esquerda para a direita: Manuel Vasconcelos, Maria Neto, Miguel Moedas e Pedro Bravo)

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas