Tags: Estilo |

Leituras para o verão (II): os livros não económicos recomendados por profissionais das gestoras


No turbilhão da vida quotidiana é fácil deixar-se levar pelo ruído do momento. Mas de vez em quando merece a pena parar e dedicar tempo simplesmente a pensar. E qual a melhor maneira de o fazer do que com uma boa história? Com a desculpa das férias de verão, perguntámos às gestoras internacionais as suas recomendações de leitura. Em seguida, mostramos-lhe uma extensa lista de propostas:

250xComo os mercados não são tudo, Lorenzo Gallardo, vendas da Amundi Iberia, aposta em Peregrino, de Terry Hayes. Para o profissional, um clássico thriller de ação imparável, muito intenso na sucessão de diferentes factos, que o agarra desde o primeiro minuto. O romance situa a base da sua trama e do conflito nas diferentes identidades religiosas e na falta de entendimento das civilizações. Conta com um protagonista, um agente, e inimigo muito audaz que pretende terminar com os Estados Unidos e a nossa civilização começando uma catastrófica guerra invisível. “Sem dúvida uma leitura muito amena que consegue fazer-nos abstrair e passar umas horas agradáveis”, assegura.

Também a olhar para a história, Mariano Arenillas recomenda uma obra do israelita Yuval Noah Harari. 81XF71bci6LO responsável da DWS para Portugal e Espanha opta por refletir sobre para onde é que os recentes avanços tecnológicos levam a humanidade com Homo Deus: História Breve do Amanhã. “Desenvolve uma opinião diferente sobre a direção que segue a humanidade, partindo da história evolutiva e da revolução cognitiva, que em conjunto com o forte desenvolvimento tecnológico das últimas décadas nos abre a porta à seguinte fase evolutiva que nos assemelhará em termos de capacidades ao deus das civilizações mais antigas. Muito recomendável”, assegura Arenillas.

Com uma visão mais local, Gonzalo Rengifo, diretor geral da Pictet AM na Península Ibérica e na América Latina, recomenda La Berrea de Alfonso Ussia. “É uma sinopse da situação política e social que estamos a viver atualmente com muito humor, muita ironia e muito divertida”, conta. Uma das primeiras medidas do novo presidente de Pichitas, candidato do Ganemos Gualdalmazán, ramos local do Podemos é mudar o nome de algumas ruas. Mas o marquês de Sotoancho e o seu suborno em forma de bandejas de lavagantes e lagosta vão demonstrar ser um persuasivo obstáculo para as suas pretensões...

Mario González, da Capital Group, também se afasta dos mercados para a sua leitura de verão. Fala-nos de três livros: La hija de la española, Karina Sainz Borgo; Morirás mañana, de Jaime Bayly; How Adam Smith Can Change Your Life, de Russ Roberts.

O verão também é um bom momento para cultivar a inteligência emocional. Por isso a proposta de Fernando Fernández-Bravo, responsável de vendas institucionais da Invesco, é o livro de Marian Rojas Estapé: Cómo hacer que te pasen cosas buenas. “Unindo o ponto de vista científico, psicológico e humano, a autora oferece-nos uma reflexão profunda, salpicada de conselhos úteis e com vocação eminentemente didática, acerca da aplicação das nossas capacidades de empenho em procurar uma existência plena e feliz: conhecer e optimizar determinadas zonas do cérebro, fixar metas e objetivos na vida, exercitar a vontade, pôr em marcha a inteligência emocional, desenvolver a assertividade, evitar o excesso de autocrítica e autoexigência, reivindicar o papel do optimismo…”, avança Fernández-Bravo.

8e54910ae2e50990Outra alternativa para refletir sobre as emoções é The Rider, escrito por Tim Krabbé, que propõe Alex Araujo, gestor na M&G Investments. É o relato vivido na primeira pessoa de Tim Krabbé de uma corrida de ciclismo no Sul de França, que captura a essência do que acontece na mente de um ciclista competitivo. “O fluxo e o refluxo dos pensamentos do ciclista, a sua batalha com a dúvida e as suas observações agudas podem ser consideradas microcosmos da vida quotidiana. A importância da paciência, a estratégia (o autor do livro também é professor de xadrez) e o sofrimento são algumas das lições do livro”, conclui o gestor.

E por último, Leonardo López, da ODDO BHF AM, também traz três ideias muito diversas:

1. What I Talk About When I Talk About Running, de Haruki Murakami41KbbdumEDL

“No verão temos mais tempo para ler, mas também para as nossas atividades desportivas mais saudáveis. Este livro agarrou-me ao running há anos e pode ser uma motivação para os que necessitem um último empurrão”.

2. El último aliento, de Francisco Ajates

“Romance negro para amenizar as tardes de espreguiçadeira na praia, segundo a saga do detective Isaac Molina, escrito por um grande amigo de infância, Kiko”.

3. El arte de soplar las brasas, de Leonardo Wolk

“Excelente livro que nos permite conhecer-nos e ajudar-nos a crescer descobrindo distintas formas de aprendizagem, convidando a sair da zona de conforto em direção a uma zona de expansão”.

As gestoras também deram recomendações especificamente relacionadas com o mercado e as finanças que pode ler aqui.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas