Tags: Gestores | Negócio |

LBV Asset Management: “Dos mercados emergentes poderão vir algumas exceções de performance positiva, como por exemplo mid-caps Brasil”


(Perspetivas para 2019, traçadas por Pedro Baldaia da LBV Asset Management)

O que esperam de cada uma das principais economias (EUA, Europa, China Japão) no ano de 2019?

Esperamos uma desaceleração da atividade económica em todos esses mercados. Estamos preocupados que isso seja acompanhado por alguma retoma da inflação, principalmente na zona Euro via subida de salários, no UK via depreciação da Libra, e na China.

Quais as classes de ativos melhor posicionadas para enfrentar o novo ano e que perspetivas têm para cada uma delas (obrigações, ações, imobiliário...). 

Na nossa opinião, as principais classes de ativos (ações, obrigações, também imobiliário) correm sérios riscos de ter performances negativas em 2019 e por isso sugerimos estratégias ativas long/short em todas elas.

Dos mercados emergentes poderão vir algumas exceções de performance positiva, como por exemplo mid-caps Brasil.

O mercado de commodities poderá ter em alguns casos performances positivas, não tanto pelo lado da procura e sim pelo lado da oferta, devido a anos de sub-investimento por parte das principais empresas dos respetivos sectores. Isso poderá acontecer em várias commodities industriais e também no petróleo, especialmente no caso de retoma da inflação e de underperformance do USD.

Que riscos monitorizam por esta altura com maior preocupação e porquê (mercado ou negócio)?

Em termos de riscos económicos, obviamente o risco de forte desaceleração da economia global, em especial dos mercados desenvolvidos e da China, ao mesmo tempo que existem riscos inflacionistas via aumentos salariais e política fiscal mais agressiva. Continuamos também a ver a potencial depreciação do Yuan como um risco esquecido pelo mercado.

Em termos políticos, principalmente a relação EUA-China, bem como a evolução da situação política na Europa, especialmente o formato final do Brexit.

Qual o fundo de investimento (obrigações, ações, misto, alternativo) que recomendam para o ano de 2019 e porquê?

A nossa estratégia é Long/Short Equities, que é adequada às circunstâncias que prevemos para 2019. O cenário económico para 2019 é negativo, pelo que queremos ter a possibilidade de mitigar ou até eliminar o risco de mercado. Um potencial aumento de volatilidade significará mais dispersão de retornos dentro do mercado acionista, o que beneficiará os fundos que praticam gestão ativa.

Quais os temas de investimento sobre os quais estão mais "sedentos" de informação por esta altura?

O tema mais binário é obviamente o Brexit. O formato final terá grandes implicações na performance dos mercados durante o ano.

Também temos alguma curiosidade no que diz respeito à reação do poder político a uma eventual desaceleração da atividade económica: Novos incentivos na China? Mais protecionismo? Novos programas QE? Política fiscal mais permissiva na Europa?

Um tópico mais específico será analisar como alguns temas de investimento de crescimento secular se comportarão num contexto económico mais negativo. Entre outros: A substituição de diesel por baterias continuará ao mesmo ritmo? O ritmo de crescimento de energias renováveis seguirá inalterado? Qual será o ritmo de substituição de retalho tradicional por online?

Empresas

Notícias relacionadas