Tags: Negócio |

Japonesa bipolar…


Fecho a porta com um ‘tchunk!’ pesado e afasto-me… Quando dou por mim, já olhei para trás 3 vezes e sou sempre invadido pelo mesmo pensamento: ‘Que carrinha mais bonita!’

Foi assim ao longo de quase 5 dias de convívio com a nova Toyota Auris Touring Sports Hybrid Exclusive (o tamanho do nome é proporcional à volumetria da mala, com 530ltrs de capacidade, expansível até 1.658ltrs com os bancos rebatidos).

Com um design extremamente sólido e arrojado, não é difícil encher de torcicolos a maioria dos transeuntes que não resistem em virar, várias vezes, a cabeça à sua passagem!

Dona de um ‘look’ e conceito futuristas, é de pasmar a falta de paralelo com o seu interior, misturando pormenores de requinte, como é o caso da pele a forrar o tablier, ou o sofisticado ecrã táctil multimédia, com plásticos de qualidade inferior (geradores de ruídos parasitas) e um relógio digital que parece tirado de uma qualquer produção automóvel dos anos 80.

À parte disso, e uma vez sentados nos confortáveis bancos aquecidos, parcialmente revestidos a pele, podemos desfrutar de uma imensa luz interior, proporcionada pelo enorme tecto panorâmico ‘Skyview’. A ergonomia é cuidada, não obrigando o condutor a qualquer esforço desnecessário para chegar rapidamente a todos os comandos que integram a extensa lista de equipamento desta versão Exclusive. Navegação, ‘cruise control’, kit de mãos livres bluetooth, hi-fi, tomadas USB e AUX, câmara traseira de estacionamento ou o sofisticado sistema ‘Park Assist’, fazem parte do equipamento de série nesta versão.

Não é preciso mais do que a simples aproximação ao carro para o destrancar e nem tão pouco é necessário ‘dar à chave’ para o colocar em marcha! Basta premir o botão ‘Power’, e mediante a indicação de ‘Ready’, engatamos a delicada manete da caixa e-CVT em ‘D’ e… Arrancamos no mais completo e absoluto silêncio! Este silêncio, havendo bateria e desde que não se ultrapassem os 50km/h, pode estender-se por 2km, altura em que o 1.8VVT-i de 99cv entra em funcionamento…. E estraga a festa!

E aqui reside o carácter ‘Dr Jekyll & Mr Hyde’ deste modelo. Ora circulamos no mais prazenteiro dos silêncios em modo eléctrico, ora circulamos em modo híbrido com o motor a rodar num regime de rotação altíssimo (resultado da associação com uma caixa de variação contínua), que interrompe, de forma significativa, a paz a bordo! O aparente esforço do motor, não encontra reflexo imediato no nível de aceleração e fica-se com a sensação que circulamos numa Auto-estrada, mas sempre em 3ª velocidade!

O motor a gasolina, funciona simultaneamente como unidade motriz e gerador para as baterias que alimentam o motor eléctrico. Com uma potência combinada de 136cv, esta Auris Hybrid atinge uma velocidade máxima de 180km/h e acelera dos 0-100 em 11,2s, apesar de acusar mais de 1.500kg na balança.

Felizmente, o conforto de rolamento leva a melhor sobre o conforto acústico, graças a uma afinação macia das suspensões independentes às 4 rodas, permitindo um rolar bastante suave sem adornos excessivos de carroçaria, convidando a longas tiradas, desde que se tenha tento no pedal da direita!
Com um preço pouco superior a 30.000€, esta versão ‘Hybrid’ não tem uma vida fácil, inserindo-se num segmento onde abundam versões concorrentes a diesel, com um nível de performance/consumos mais apelativo.

Conseguirá a ‘novidade’ levar a melhor sobre o ‘poder instituído’?

Vejam o vídeo aqui

O Mais Lido