Tags: Negócio | Monetário |

Já existem dois fundos nacionais com mais de mil milhões de euros em património


O mês de janeiro trouxe mexidas no número de fundos, situação que teve pouco impacto no que diz respeito aos ativos sob gestão no segmento mobiliário nacional. De acordo com os dados publicados pela Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios - APFIPP - referentes ao primeiro mês deste ano, houve um decréscimo de quatro fundos, que resultou do saldo entre o lançamento do Caixagest Investimento Socialmente Responsável da Caixagest, das liquidações dos fundos Banif Acções Portugal, Banif Euro Acções, Banif Euro Corporates e Banif Iberia da Banif Gestão de Activos (atualmente Profile Investment Managers), e ainda da fusão do Caixa Fundo Monetário no Caixagest Liquidez. Em termos de ativos sob gestão, o montante permaneceu praticamente igual, tendo passado de 11.100 para 11.097 milhões de euros.

Ainda assim, o final do mês de janeiro trouxe uma novidade a este segmento: passado algum tempo, é possível encontrar mais do que um fundo a gerir um património superior a mil milhões de euros. A liderança continua intacta, com o Caixagest Liquidez da Caixagest. Este fundo fechou o mês de janeiro com um património superior a 1.459 milhões de euros, tendo consolidado a sua posição através da entradas dos participantes do Caixa Fundo Monetário, que foi incorporado neste produto durante o mês de janeiro, tal como referido anteriormente.

A grande novidade é a passagem do BPI Liquidez a este grupo "de elite". Gerido pela BPI Gestão de Activos, o fundo fechou o mês de janeiro com mais de 1.039 milhões de euros. Para este montante, em muito contribuiram as captações líquidas no mês a rondar os 137 milhões de euros.

Restantes mais longe da frente

Os fundos que se seguem estão longe da dupla da frente. O terceiro maior fundo nacional é o BPI Monetário de Curto Prazo que também faz parte da BPI Gestão de Activos. No final de janeiro o fundo somava um património superior a 553 milhões de euros, sendo seguido pelo IMGA Prestige Conservador, da IM Gestão de Ativos, com mais de 506 milhões de euros. Com um valor de 500 milhões de euros, vem o BPI Reforma Segura PPR, da BPI Gestão de Ativos.

Em termos percentuais, estes cinco fundos que gerem mais de 500 milhões de euros, representam mais de um terço do património gerido pelos fundos mobiliários nacionais, tal com o gráfico seguinte evidencia.

Maiores_fundos_mob_nacionais_jan17

Fonte: APFIPP

 

Empresas