Investimento nas fases mais avançadas do ciclo económico: porque faz sentido investir em infraestruturas cotadas


TRIBUNA de Teresa Molins, responsável de Vendas, da Legg Mason AM. Comentário patrocinado pela Legg Mason AM. 

Perante o aumento da volatilidade dos mercados, o abrandamento do crescimento económico, os níveis reduzidos de inflação e a orientação expansiva da política monetária destinada a estimular a atividade económica, é cada vez mais unânime a opinião de que nos encontramos nas últimas fases do ciclo económico.

As empresas que apresentam um crescimento rápido beneficiariam de boas notícias nos mercados, mas a conjuntura do investimento parece estar a mudar, com um risco cada vez maior de redução dos benefícios empresariais e uma maior incerteza na hora de prever que empresas vão conseguir ter bons resultados.

Volatilidade futura dos mercados

O investimento em infraestruturas nas fases mais avançadas do ciclo económico permite aos investidores fazer frente à volatilidade dos mercados sem sobressaltos e manter o investimento em ações.

A RARE Infrastructure, gestora especializada no investimento em empresas globais de infraestruturas cotadas em bolsa, começa com um universo próprio composto por títulos que, na sua perspetiva, são os que melhor se ajustam à sua definição de infraestruturas e que têm origem nas empresas de infraestruturas de maior dimensão e com maior liquidez do mundo.

À medida que o ciclo económico vai avançando, os investidores começam a procurar ativos de qualidade que possam oferecer ganhos crescentes e transparentes, que vão atraindo cada vez mais capital conforme os investidores vão adotando uma posição mais defensiva.

Ao aumentarem a exposição a ações defensivas através do investimento em empresas de infraestruturas, os investidores podem estar protegidos ao mesmo tempo que mantêm o seu investimento, para conseguirem alcançar os seus objetivos de crescimento a longo prazo.

Um íman de capital

A capitalização bolsista do mercado de infraestruturas cotadas ascende a cerca de 2 biliões de dólares, sendo superior ao mercado global de REIT, e está a crescer de forma exponencial. Daqui até 2030, será gasta uma quantidade astronómica de dinheiro em infraestruturas em todo o mundo, prevendo-se que esse valor possa rondar os 50 biliões de dólares.

Um dos fatores que impulsionam a despesa com infraestruturas é a necessidade social. Além disso, os governos também estão conscientes de que as infraestruturas podem contribuir para impulsionar a produtividade e o crescimento económico.

As infraestruturas e o crescimento podem apoiar-se mutuamente: o investimento em infraestruturas favorece o crescimento, uma vez que contribui para o aumento da produtividade, e o crescimento impulsiona o investimento em infraestruturas, perante a saturação das já existentes.

A abordagem diferenciada da RARE

A geração de receitas estáveis associadas à inflação é uma das razões pelas quais o setor de infraestruturas cotadas apresentou características de crescimento defensivo durante os últimos doze anos, comparativamente com as ações globais. Por exemplo, o índice S&P Global Infrastructure participa em cerca de 70-75% do beta do índice MSCI AC World, tanto nos meses em que os mercados sobem como nos que baixam, o que oferece um nível de proteção em períodos de incerteza.

Uma gestora especializada pode melhorar estes resultados. Quando a aversão a perdas constitui um fator-chave para os clientes, as estratégias como a RARE Infrastructure Value podem limitar o impacto dos períodos de abrandamento económico.

Na nossa opinião, o fundo Legg Mason RARE Infrastructure Value permite aos investidores enfrentar de forma mais diversificada as últimas fases do ciclo económico, que se caracterizam por uma maior volatilidade e pela presença de maiores correções de mercado. Neste fundo, com cotação e liquidez diárias e com um volume de 440 milhões de euros, os nosso gestores procuram gerar um rendimento atrativo através do investimento numa carteira de empresas de infraestruturas sólidas de todo o mundo, que oferecem serviços essenciais em troca de retribuições estabelecidas legalmente ou contratualmente, o que favorece os ganhos, os dividendos e os cash flows a longo prazo.

Captura_de_ecra__2019-07-26__a_s_16

Beta da estratégia RARE

Value em relação às ações globais

Rentabilidade mensal (%) – infraestruturas

Rentabilidade mensal (%) – índice MSCI AC World (local)

Fonte: cálculos da RARE, 31 de dezembro de 2018. 1. Estratégia RARE Value: rentabilidade bruta, com cobertura em AUD, FactSet Research Systems (código de carteira: CLIENT: H_REP_VAL_GROSS), dados mensais desde 31 de agosto de 2006. S&P Global Infrastructure: rentabilidade bruta, local, FactSet Research Systems (Client: SPLOCAL_GROSS), dados mensais desde 31 de agosto de 2006. MSCI AC World: rentabilidade bruta, local, FactSet Research Systems (código do índice: MSCI:892400), dados mensais desde 31 de agosto de 2006. As rentabilidades obtidas no passado não constituem um indicador fiável de rentabilidades futuras.

Disclaimer

A rentabilidade histórica não é um indicador fiável dos resultados futuros. Fonte dos valores relativos à rentabilidade: Legg Mason. NAV (valor patrimonial líquido) a NAV com a receita bruta reinvestida sem encargos iniciais, mas refletindo as comissões de gestão anuais. Não foram deduzidos impostos, comissões de venda e outros custos aplicados localmente, caso contrário, os resultados seriam inferiores. O rendimento do investimento e o valor principal de um investimento no fundo vão flutuar e as ações podem valer mais ou menos do que o seu custo inicial quando resgatadas. As comparações com índices relevantes e grupos de referência são incluídas como um padrão relativamente ao qual é possível medir o rendimento de um fundo. Os rendimentos do índice e do grupo de referência não refletem quaisquer comissões, gastos ou encargos de venda. Um investidor não pode investir diretamente num índice ou grupo de referência.

Este subfundo é um subfundo de Legg Mason Global Funds plc (“LMGF plc”). A LMGF é uma sociedade de investimento de tipo aberto e capital variável, organizada como organismo de investimento coletivo em valores mobiliários (“OICVM”). A LMGF está autorizada na Irlanda pelo Banco Central da Irlanda. As informações foram elaboradas a partir de fontes consideradas fiáveis. Não estão garantidas de forma alguma por nenhuma sociedade ou filial da Legg Mason, Inc. (em conjunto, “Legg Mason”). Antes de investir, deve ler o formulário de subscrição, o prospeto e o KIID. É possível obter os documentos do fundo gratuitamente na sede da LMGF plc, sita em Riverside Two, Sir John Rogerson’s Quay, Grand Canal Dock, Dublin 2, Irlanda, através do agente de administração da LMGF plc, através da BNY Mellon Fund Services (Ireland) Limited ou através do website www.leggmasonglobal.com. O valor dos investimentos e o rendimento dos mesmos pode diminuir, assim como aumentar, e os investidores poderão não recuperar o montante total que investiram. Promoção financeira publicada pela Legg Mason Investments (Ireland) Limited. Sede: 6th Floor, Building Three, Number One Ballsbridge, 126 Pembroke Road, Ballsbridge, Dublin 4, D04, EP27, Irlanda. Registada na Irlanda, N.º de Sociedade 271887. Autorizada e regulada pelo Banco Central da Irlanda.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido