Tags: Negócio |

Investimento em valores mobiliários cotados caiu em setembro


A CMVM já publicou os dados relativos a setembro, através da sua publicação intitulada “indicadores de síntese dos organismos de investimento coletivo e dos fundos de investimento alternativo”. Nesse relatório, é possível ver que o volume sob gestão dos organismos de investimento colectivo, no mês passado, totalizava 8.497,8 milhões de euros, mais 59,6 milhões de euros do que no mês de agosto.

Em relação às cotadas nacionais preferidas, a NOS continua a ser a cotada preferida, embora o maior destaque seja para a escalada dos CTT nesta rubrica.

Investimento em valores mobiliários cotados decresceu

Uma das rubricas apresentadas pelo regulador incide sobre o investimento em valores mobiliários cotados. Neste particular, notou-se um decréscimo em setembro, face ao mês de agosto, de 1,5% para um total de 4.333 milhões de euros. Entre os mercados disponíveis, o Luxemburgo continua a ser o preferido com um investimento por parte dos OICVM de 815 milhões de euros, seguido do Reino Unido e da Alemanha, com 566 e 487 milhões de euros, respetivamente. Portugal surge logo depois com 447 milhões de euros.

Segmentando o investimento em valores mobiliários cotados, por tipo de ativos, o total aplicado em dívida pública supera os 1.132 milhões de euros, com a Itália a liderar o segmento com mais de 304 milhões de euros. Em dívida pública portuguesa, os OICVM nacionais tinham aplicado mais de 174 milhões de euros.

No que diz respeito às obrigações, o Luxemburgo lidera com quase 780 milhões de euros, enquanto que em Portugal o investimento atinge praticamente o número redondo de 100 milhões de euros. Em termos totais, os OICVM nacionais têm aplicado em obrigações pouco mais de 2.000 milhões de euros.

Já nas ações o investimento total é de 1.019 milhões de euros, com os EUA a serem o país preferido com 281 milhões de euros, seguido de Portugal com 170 milhões de euros. Tal como referido anteriormente, a NOS é a cotada preferida nacional com um investimento recebido por parte dos OICVM de 16,7 milhões de euros, seguido dos CTT com 16,2 milhões de euros.

Na União Europeia a cotada que se destaca é a Siemens com 15,7 milhões de euros, enquanto que fora do mercado europeu os destaques vão para as as cotadas norte-americanas Apple e Johnson & Jonhson, com 14,2 e 14,1 milhões de euros investidos por parte dos OICVM.

O Mais Lido