Investimento em dívida pública estrangeira aumentou mais de 38% nos últimos 12 meses


De acordo com o relatório publicado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, os primeiros nove meses do ano parecem não ter sido sorridentes para os vários segmentos nacionais, tendo-se registado uma queda do investimento na sua grande maioria. No que toca ao segmento da gestão individual de ativos, no cômputo geral, no final do mês de setembro, o investimento total ascendeu a 64.168 milhões de euros, mais 1,5% em comparação com o final de setembro de 2017.

Captura_de_ecra__2018-11-02__a_s_12

Fonte: CMVM

Olhando para o investimento por classe de ativos no segmento da gestão individual, verifica-se uma queda de 31,6% no investimento em ações de emitentes nacionais, no último ano, ainda que o mesmo se tenha verificado do lado das ações de emitentes estrangeiros, cujo investimento decresceu 6,2% no mesmo período. Do lado da dívida pública nacional, apesar de se manter enquanto segmento mais preponderante (26,1% do investimento total), a queda foi de 10,6%. Neste segmento verificou-se, por outro lado, uma maior preferência por dívida pública estrangeira, tendo o investimento nesta classe de ativos subido 38,7%. Quanto ao segmento das obrigações, registou-se uma queda de 20% no caso das obrigações de emitentes nacionais e um aumento de 4,2% nas de emitentes estrangeiros.

No que respeita ao investimento em unidades de participação, enquanto que no caso dos das UPs de fundos nacionais este manteve-se quase inalterado, no caso dos veículos de investimento estrangeiros subiu 20%.

Notícias relacionadas