Tags: Obrigações | Ações |

Investimento dos fundos nacionais na bolsa portuguesa caiu 27% num ano


"O valor sob gestão dos organismos de investimento coletivo em valores mobiliários (OICVM) totalizou 9.248,0 milhões de euros, mais 503,4 milhões de euros (5,8%) do que em dezembro. Nos fundos de investimento alternativo (FIA) o valor sob gestão caiu 21,5% para 1.849,5 milhões de euros", revela a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) no seu relatório dos "indicadores de síntese dos organismos de investimento coletivo e dos fundos de investimento alternativo”. Em termos agregados, verificamos que o montante no mês passado diminuiu cerca de 0,03%, ou seja, cerca de três milhões de euros - passou de 11.100 para os 11.097 milhões de euros.

No mesmo relatório, é possível ver o montante aplicado pelos fundos de investimento nacionais em ações portuguesas. No final do mês passado esse valor ascendia a 145 milhões de euros, o que representa um decréscimo de 12,3%, face ao mês anterior. Este foi, inclusivamente, a segunda maior descida do ano tendo sido apenas superada pela descida no mês de junho - que se situou em mais de 13,5%.

Como foi ao longo dos últimos doze meses?

Analisando o que se passou nos últimos doze meses, verificamos que o montante aplicado nas cotadas nacionais, por parte dos fundos de investimento, tem vindo a decrescer. Os dados da CMVM evidenciam uma descida de 55 milhões de euros entre o mês passado e o final de janeiro do ano passado. Em termos percentuais, a descida é superior a 27,5%, para o valor já mencionado de 145 milhões de euros. No período em análise, apenas em quatro meses o valor aumentou face ao mês anterior. A maior subida percentual ocorreu logo em março, com o montante a aumentar mais de 6%.

No que diz respeito às cotadas preferidas, também houve mudanças. No final de janeiro do ano passado era a Sonae SGPS que liderava a 'corrida' ao receber quase 20 milhões de euros de investimento por parte dos fundos nacionais, enquanto que no final do mês passado a liderança passava pela Navigator, com um total de 13,7 milhões de euros.

Evolução do investimento em cotadas nacionais

Investimento_em_cotadas_nacionais_jan17

Fonte: CMVM. Valores em milhões de euros.

Como foi nas cotadas fora de Portugal?

Se analisarmos o que se passou nas cotadas da União Europeia, verificamos que a cotada preferida continua a ser a mesma: a Siemens, com o montante a ter crescido de 13,5 milhões para mais de 17 milhões de euros. Em termos totais, o montante cresceu cerca de 3,5%, com o valor aplicado em cotadas da União Europeia a passar de 447,9 milhões para mais de 463 milhões de euros. Em termos comparativos, o MSCI Europe valorizou cerca de 5% nos últimos doze meses.

A mesma tendência - de crescimento - foi sentido na ações fora da União Europeia. No período em questão o montante aplicado cresceu mais de 21%, para um total superior a 495,6 milhões de euros. A maioria das cotadas que entram nestas contas estão sediadas em solo norte-americano, tendo aproveitado do facto do mercado bolsista daquele país ter crescido ao longo dos últimos doze meses. Por exemplo, o MSCI USA valorizou, em euros, quase 18% no período em análise.

 

Próximos eventos