Investidores europeus devem reafirmar os seus valores


(TRIBUNA de Philippe Mudry, Diretor geral da Agefi. Comentário patrocinado pela Agefi.)

O Brexit é agora inevitável. Mas os investidores europeus estão apenas agora a começar a medir a sério as suas consequências, que são consideráveis, para os profissionais da Europa. Felizmente, nem todas estas repercussões são negativas. Enquanto o afastamento da City vai ser um choque para toda a gente também pode ser uma oportunidade para o resto da União Europeia e da zona euro em particular. Uma oportunidade para reafirmar um modelo original de gestão de ativos que se foca em financiar uma economia sustentável e baixa intensidade energética. Seguramente, a Europa não está sozinha na procura por este objetivo neste momento de alerta para as mudanças climáticas, em nenhum outro continente se pensa neste problema de forma tão avançada, e em nenhum outro continente há a oportunidade de construir um novo modelo de negócio mais sério do que na Europa.

A Agefi, o meio de comunicação líder em França dedicado a profissionais financeiros, está firmemente convencida disto, ao ponto de fazer desta ambição o pilar do seu editorial e política de eventos, tanto por si só como em parcerias. Para nós, a questão chave é: Quais são as relações que os profissionais de investimentos europeus devem formar para espalhar a palavra sobre a sustentabilidade de forma tão uniforme e eficaz quanto possível? A qualidade do diálogo entre eles aparenta ser o principal pré-requisito para uma resposta apropriada. Enquanto meio de comunicação social francês totalmente comprometido com a causa europeia, a Agefi já começou a agir ao providenciar àqueles que pretendam participar neste debate as informações confiáveis ​​e os contactos de alto nível de que precisam.

Uma forma de o fazer é ao organizar um evento internacional em Paris que se tem celebrado em outubro nos últimos anos. Este evento chamado Global Invest Forum tem como público-alvo os profissionais da gestão de ativos, principalmente, mas não exclusivamente da Europa, incluindo investidores institucionais, empresas de gestão, private banking e provedores de serviços de investimentos. O objetivo deste encontro é ser a ágora na qual todos os temas de interesse comum são discutidos da maneira mais concreta quanto possível. Novamente este ano, a 10 e 11 de outubro, centenas de executivos encontram-se neste evento prometendo assegurar um âmbito sem precedentes (https://www.globalinvestforum.com/?origine=5804%2F).

O programa fala por si: na quinta-feira 10 de outubro, a governação europeia, no meio da agitação após as eleições europeias da primavera, será analisada antes de se falar das questões de política monetária, tendo em vista a chegada de Christine Lagarde a presidente do BCE. A liquidez nos mercados será também examinada. O Brexit, claro, será um tema principal no programa que contará com a participação de um antigo embaixador britânico em França, seguido de uma conversa de CEOs de grandes instituições de investimentos ou empresas de gestão sobre os desafios a ser ultrapassados para consolidar as relações num contexto de baixas taxas de juro, redução de custos e estreitamento das restrições regulatórias.

O primeiro dia vai terminar com um resumo preciso dos atuais e maiores problemas para a gestão de investimentos – regulamentos ESG, claro, mas também inteligência artificial, investimento de impacto e finanças quantitativas – com a participação de experientes especialistas internacionais.

Na sexta-feira, 11 de outubro o dia vai ser igualmente repleto de eventos, com vários debates que são cruciais para os investidores profissionais. Os primeiros vão focar-se em poupanças para a reforma, que estão a sofrer alterações em vários países, incluindo França, os outros sobre allocation em duas classes de ativos opostas, ativos ilíquidos de um lado e ações por outro. Seguem-se pontos mais específicos sobre o mercado imobiliário, de infraestruturas e de crédito, antes de um debate sobre o progresso da diversidade na gestão de ativos concluir o evento.

Outra iniciativa é a criação pela Agefi e por três associações de mercado sediadas em Paris – Paris Europlace, French Asset Management Association (AFG) e French Institucional Investor Association (AF2I) – de uma associação para promover Paris como um centro pós-Brexit de gestão de investimento internacional: a Invest Week Paris. O seu primeiro objetivo é promover, no início de outubro, uma semana anual de eventos dedicada a investidores internacionais. A primeira edição terá lugar de 7 a 14 de outubro e irá incluir os seguintes eventos: o Global Invest Forum e a AM TechDay (organizado pela Agefi), a Infra Week (Paris Europlace), e a GIF Academy & l’Agora des Investisseurs Insitucionnels (AF2I).

Um dos objetivos da associação é criar um rótulo que alavanque a publicidade do evento e promova o rótulo ao partilhar oportunidades de publicidade e ao cooperar na divulgação dos eventos em França e em outros lugares. Esta associação aberta incentivará outras associações francesas e europeias interessadas em participar e promover, em toda a Europa continental, o surgimento de um ecossistema capaz de financiar a economia de maneira sustentável e com baixo gasto de energia. Cumprir este objetivo vai requerer tanto envolvimento quanto possível de gestores de ativos, investidores institucionais europeus e, numa escala mais ampla, personalidades internacionais de alto nível, bem como o incentivo para enviar as suas ideias a profissionais de investimentos e apoiar o público internacional de profissionais de pesquisa financeira de França e do resto da Europa.

Profissionais

Notícias relacionadas

Próximos eventos