Tags: Negócio | Europa |

"Investidores europeus continuam a sair do mercado accionista"


Os fundos de obrigações tiveram 16,95 mil milhões de euros de subscrições líquidas em Agosto, o que demonstra que os investidores europeus continuam a "fugir" dos fundos de acções. Estes sofreram quedas na ordem dos 7,02 mil milhões de euros líquidos; sendo os fundos da categoria Morningstar "acções Estados Unidos grande capitalização estilo misto" os mais penalizados, com reembolsos líquidos no valor de 810 milhões de euros. Algumas categorias de acções tiveram, no entanto, entradas de capital em Agosto, como a categoria acções Estados Unidos - cobertura cambial - com subscrições líquidas de 324 milhões de euros.

O padrão de comportamento do investidor europeu, de acordo com o último relatório da Morningstar sobre fluxo de fundos, verifica-se também nos Estados Unidos, onde as entradas nos fundos de obrigações superaram os 30 mil milhões de dólares. Apesar do volume de subscrições europeias, durante o mês de Agosto, se ter mantido abaixo dos valores de Julho (22,9 mil milhões de euros), as entradas em fundos de obrigações foram apenas ligeiramente inferiores aos meses anteriores, mostra o relatório sobre o fluxo de fundos realizado pela equipa europeia de análise da Morningstar.

"Num cenário de incerteza do mercado, os investidores optam pela garantia que oferecem conhecidas gestoras como a Pimco, que lidera a lista de gestoras com mais subscrições no mês" (3,1 mil milhões de euros, excluindo os monetários), comenta Javier Sáenz de Cenzano, CFA, da equipa europeia de análise da Morningstar.

Por tipo de fundos, os de longo prazo receberam cerca de 11,72 mil milhões de euros em Agosto, o que dá um total de 90 mil milhões de euros desde inicio do ano. Os fundos alternativos também foram procurados, com 713 milhões de euros a entrarem neste tipo de produto. Os fundos mistos tiveram subscrições líquidas de 587 milhões, destacando-se os fundos mistos defensivos em euros com uma entrada líquida de 356 milhões de euros.

Javier Sáenz de Cenzano comenta que "os investidores que procuram 'yields' altas continuam a depositar as suas esperanças nas obrigações de empresas, especialmente em 'high yield' e dívida de mercados emergentes". Isto justifica que a heterogénea categoria Morningstar "outras obrigações", que inclui nomeadamente fundos de obrigações de mercados emergentes, tenha sido a mais popular de todas, em Agosto, recebendo 1,88 mil milhões de euros. "Já, os veículos de investimento considerados como refúgio como as obrigações soberanas em dólares, euros e libras, mantêm-se na lista de vendas por parte dos investidores europeus, em Agosto", acrescenta este analista da Morningstar.

O Mais Lido