Tags: Negócio |

Invesco reforça o seu negócio de gestão passiva com a aquisição da Source


As gestoras de fundos continuam a executar compras. Desta vez, foi a vez da Invesco, que acaba de anunciar a aquisição da provedora de ETFs Source. Com sede na Europa, a Source gere aproximadamente 18.000 milhões de dólares de ativos, para além de outros 7.000 milhões de dólares geridos externamente via mandatos (a 31 de março de 2017). Fontes da Invesco indicaram sobre a operação que esta “fornece novo talento e uma ampla gama de fundos à Invesco, que amplia as opções que os seus clientes têm em investimento ativo, passivo e alternativo. A Invesco melhora assim a sua capacidade de ajudar os clientes a alcançar as suas metas financeiras”. Importa recordar que a Invesco já tem atividade na área de gestão passiva através da sua divisão Powershares, desde 2002.

Da Source destacam em comunicado que “o acordo entre a Source e a Invesco PowerShares é  complementar em termos de gama de produto, no enfoque dos clientes que partilham, e no histórico de inovação. A combinação de ambos os negócios dará lugar a um autêntico líder de mercado na Europa e nos seus mercados objetivo”.

Da Invesco, especificam que a aquisição “é consistente com as prioridades estratégicas da Invesco a nível global e em EMEA”, e apresentam três razões pelas quais os clientes sairão a ganhar. A primeira: ampliar-se-á a profundidade e a amplitude das suas capacidades em investimento factorial e em ETF. A segunda passa pela “melhoria da experiência e capacidade da Invesco em satisfazer as necessidades dos clientes de retalho e institucionais na Europa com a incorporação de especialistas em ETF, que abarquem vendas, marketing, mercado de capitais e desenvolvimento de produtos”. Em terceiro lugar: a aquisição contribui para fortalecer a posição da Invesco no mercado europeu e para ganhar tamanho e relevância no mercado global de ETF.

É importante recordar que a Source é maioritariamente detida por uma filial da Warburg Pincus, uma empresa global de private equity, e que existem cinco bancos de grande dimensão com participação minoritária. A Invesco explicou que irá financiar a transação com a liquidez disponível e espera completar a operação no terceiro trimestre de 2017, mediante a aprovação dos reguladores. A Source contou com a J.P. Morgan como assessor financeiro e com a Freshfields como assessor legal. Ainda que não exista nenhum número oficial relativamente à operação, a Sky News adiantou esta manhã que o acordo poderá ascender a 500 milhões de euros.

Martin Flanagan, presidente e CEO da Invesco, enfatizou que “a incorporação da Source vai ajudar-nos a satisfazer as crescentes demandas dos clientes que querem trabalhar com organizações de investimento que podem oferecer produtos em toda a gama de capacidades de investimento e proporcionar os resultados que procuram”. “A combinação da Source com a Invesco vai permitir fortalecer a nossa presença, aumentar o nosso acesso a canais chave e melhorar a nossa experiência dentro do crescente negócio em EMEA”, comentou sobre a operação Andrew S. Chlossberg, diretor geral sénior e responsável de negócio em EMEA.

Esta aquisição acontece uma semana depois da Schroders comunicar a compra da Adveq Holding, uma entidade especializada em soluções de investimento relacionadas com private equity. Se a isto se juntar o recente anúncio de fusão entre a Aberdeen e a Standard Life Investments, assim como a materialização da fusão entre a Henderson e a Janus Capital, resulta percetível o caminho das gestoras para consolidar os seus negócios e ganhar quota de mercado num ambiente empresarial cada vez mais competitivo. 

 

Empresas

Notícias relacionadas