Tags: ETF |

Invesco lança gama de ETFs em Portugal


Invesco apresentou na passada terça-feira a sua gama de ETFs registados em Portugal, uma das mais completas do mercado já que conta com mais de 100 produtos. O registo dos ETFs em território nacional contou com o  apoio do Banco Best.

No comunicado enviado à imprensa é revelado que estes produtos abrangem desde o simples tracking de índices até às estratégias mais avançadas de Smart Beta. Além disso, todos os ETFs e fundos indexados comercializados em Portugal são veículos UCITS, concebidos para proporcionar aos investidores uma exposição eficiente e transparente a obrigações, ações e matérias-primas.

A cerimónia de apresentação decorreu no Hotel The One Palácio da Anunciada e contou a presença de Laure Peyranne, responsável de ETFs para Portugal, Espanha e América Latina. Durante o evento a profissional referiu que "graças às capacidades e infraestrutura de que dispomos na Europa, pretendemos posicionar-nos como um fornecedor de referência em Portugal."

"Os clientes podem contar com a solidez da Invesco; gerimos ETFs há quase vinte anos e dispomos da capacidade e experiência que nos permitem ajudá-los a operar da forma mais eficiente. Outra das vantagens competitivas da Invesco é a inovação, já que fornecer uma gama inovadora que se adapte às necessidades de alocação de ativos dos nossos clientes faz parte do nosso DNA", garante Laure Peyranne.

A profissional reforçou ainda que o baixo custo neste tipo de fundos é uma vantagem, já que a entidade americana conta com os ETFs Core Beta mais baratos do mercado como os ETFs do S&P 500 e do EuroStoxx 50, a 5 pontos base.

Empresas

Notícias relacionadas

Íñigo Escudero (Invesco): “Somos o quarto fornecedor de ETFs do mundo e queremos situar-nos no mercado ibérico da forma que nos corresponde”

Numa entrevista à Funds People, o diretor de Vendas e de Serviço ao Cliente da Invesco para a Península Ibérica e América Latina, e Laure Peyranne, recém nomeada responsável de ETFs para a Península Ibérica e América Latina, explicam o que a gestora acrescenta de novo para o investidor ibérico no âmbito da gestão passiva.