Tags: Obrigações | Ações |

IntercontinentalExchange faz oferta de 8,2 mil milhões de dólares sobre NYSE Euronext


A IntercontinentalExchange (ICE) e a NYSE Euronext chegaram hoje a um “acordo definifitivo” para a compra da gestora que detém a bolsa portuguesa, numa transacção de dinheiro e acções, divulgaram as duas sociedades num comunicado conjunto.

De acordo com os termos do negócio, “que foram aprovados unanimemente pelos conselhos de administração de ambas as empresas”, a transacção, está actualmente avaliada em 33,12 dólares por acção da NYSE Euronext, ou um total aproximado de 8,2 mil milhões de dólares (6,2 mil milhões de euros), tendo por base a cotação de fecho da ICE na sessão de ontem. Deste total a ser pago pela IntercontinentalExchange no processo de fusão “aproximadamente 67% é em acções e 33% em ‘cash’”. O valor da transacção de 33,12 dólares, representa um prémio de 37,7% sobre o preço de fecho das acções da NYSE Euronext a 19 de Dezembro”, acrescenta o comunicado.

Em conferência telefónica conjunta, Dominique Cerutti, presidente e ‘deputy CEO’ da NYSE Euronext, e David Peniket, presidente e COO da ICE Futures Europe, destacaram a  complementaridade dos negócios e, nesse sentido, mostraram-se confiantes que, contrariamente a projectos de fusão anteriores, terão a aprovação das autoridades para a concretização da operação.

Dominique Carutti salientou aquelas que considera serem duas partes fundamentais para esta operação; por um lado a globalização cada vez maior do mercado de derivados (e também de compensação) e, por outro, e evoluindo em sentido contrário, o facto de os mercados de acções não estarem a “tornar-se globais, mas a regressar a uma espécie de regionalização”. Uma tendência que visa aproximá-los mais das economias e das empresas.

Quanto aos mercados accionistas europeus da NYSE Euronext – Amesterdão, Bruxelas, Lisboa e Paris – salientaram que esta operação terá um mercado positivo, que o objectivo para por “fortalecer mais os mercados Euronext” e que, nesse sentido, os quatro “serão bem tratados”.

Após a conclusão do negócio, de acordo com a mesma nota, os accionistas da gestora que detém a bolsa portuguesa ficarão com cerca de 36% das acções da ICE.

O processo deverá ficar concluído no segundo semestre de 2013, estando sujeito à aprovação dos accionistas e das autoridades de regulação e supervisão.