Incorporação de carteiras na SAM impulsiona significativamente montante gerido pela entidade


Contrariamente ao que tinha acontecido em setembro, a gestão de patrimónios ganhou novo fôlego em outubro... mas por razões muito específicas. Os 1,1% de crescimento reportados pela APFIPP no segmento da gestão de patrimónios (valores correspondentes a 90,7% do mercado), ficaram a dever-se, segundo a Associação, a um movimento de negócio muito específico.

Incorporação de carteiras de seguros do Grupo Santander

Segundo o que reporta a APFIPP, a Santander Asset Management (SAM) foi a entidade que tanto em termos absolutos como relativos mais cresceu no mês em causa. Isto devido, maioritariamente, à “incorporação de carteiras de seguros do Grupo Santander” no segmento de gestão de patrimónios da entidade. Desta feita, a SAM terminou o mês com um crescimento de 20,1% e mais 912,3 milhões de euros no montante gerido nas carteiras de gestão discricionária. Com a incorporação referida, o volume gerido pela entidade avançou dos 4.539,5 milhões de euros para os 5.451,8 milhões de euros.

Também analisando o tipo de clientes da gestão de patrimónios, acaba por se ver refletido o incremento protagonizado pela SAM. O montante gerido pelas gestoras de patrimónios referente a carteiras seguradoras avançou 2,15% de setembro para outubro, dos 36,88 mil milhões de euros para os 37,67 mil milhões de euros.

Captura_de_ecra__2018-12-12__a_s_15
Fonte: APFIPP, 31 de outubro 

Em termos genéricos, tal incorporação fez ainda com que o volume gerido pelo segmento de gestão discricionária, em termos globais, ascendesse a 58,49 mil milhões de euros no final de outubro; isto porque o mês foi de "terreno negativo" para quase todas as entidades gestoras, como visível na tabela abaixo.

gestao patr. outubro 2018

Fonte: APFIPP, 31 de outubro 

Também nas estatísticas desde o início do ano o facto anteriormente descrito acabou por ter influência. Segundo a APFIPP, também o maior incremento percentual e absoluto desde o início de 2018 pertence à Santander AM, cujo montante sob gestão cresceu 26,0% e 1.126,0 milhões de euros no período.

Caixagest com quota de mercado de quase 40%

Sem novidade, a Caixagest continua a ser o peso-pesado da gestão de patrimónios, tendo terminado outubro com 22,53 mil milhões de euros de ativos geridos, o correspondente a uma quota de mercado de 38,5%. Embora a  entidade tenha registado um decréscimo mensal de 0,6%, desde o início do ano a entidade avança 3,3%.

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido