Tags: Negócio |

Grandes movimentos nas equipas de gestão internacionais em novembro


O mês de novembro trouxe mudanças importantes na indústria da gestão de ativos.

A Allianz Global Investors anunciou mudanças na cúpula diretiva da empresa que vão entrar em vigor no próximo dia 1 de janeiro de 2020, como parte do plano de sucessão da empresa. Tobias C. Pross, atual diretor global de distribuição (Global Head of Distribuion), e Deborah Zurkow, diretora global de alternativos, sucederam a Andreas Utermann como CEO e diretora global de investimentos, respetivamente.

A gestora também anunciou a nomeação de Andreas Fruschki como diretor da recentemente criada equipa de ações temáticas. A nova equipa, composta por cinco especialistas em investimentos temáticos, centrar-se-á em aprofundar e expandir as capacidades de investimento temático da Allianz GI, assim como na produção de análise em profundidade.

A francesa Carmignac continua com um ano muito ativo. Nomeou Chrystelle Eid como analista de ações especializadas no sector do consumo. Eid trabalhará em Londres e vai reportar a David Older, responsável de ações. Também anunciou um novo responsável de comunicação de Carmignac, Simon Zaks.

Falando da expansão de equipas, a Neuberger Berman criou uma divisão de ações japonesa com um foco em ESG. A sua primeira equipa será liderada por Keita Kubota, que se junta à empresa na qualidade de gestor sénior. A divisão vai gerir uma estratégia de ações japonesas engagement, centrada em empresas de pequena e média capitalização japonesas. Dois analistas darão apoio a Kubota.

Também foi um mês ativo para a NN IP, que realizou mudanças relevantes na sua equipa de dívida de mercados emergentes. A gestora tomou a decisão de alinhar a estratégia de investimento em dívida emergente com as suas convicções de investimento responsável. Isto desencadeou a decisão de Marcelo Assalin, chefe de dívida de mercados emergentes e Marco Ruijer, gestor principal de dívida emergente hard currency, de continuar a sua carreira num concorrente anglo-saxónico. Também se demitiram outros gestores de carteiras. Em resposta, a NN IP adotou as medidas necessárias para garantir a continuidade da gestão dos mandatos e fundos de dívida de mercados emergentes. Edith Siermann, diretora de obrigações especializada e investimento responsável, foi nomeada diretora interina da equipa de dívida de mercados emergentes. “O anúncio sobre a futura equipa continuará no seu devido tempo”, acrescentam na gestora.

Dentro do universo de emergentes também aconteceu a contratação de Jeff Grills CFA, como novo responsável da equipa de dívida de mercados emergentes da Aegon Asset Management US.

Por outro lado, a Edmond de Rothschild AM reforçou a equipa gestora do EdR Fund Bond Allocation, dirigido por Michaël Nizard, com a incorporação de Nicolas Leprice e Julien Tisserand. Estes dois especialistas em obrigações passaram a fazer parte da equipa de asset allocation e dívida soberana.

Na área de alternativos, Tikehau Capital nomeou Olga Kosters como diretora de Private Debt Secondaries. Será a responsável por lançar o negócio secundário de dívida privada da empresa. Trabalhará em Nova Iorque e reportará a Tim Grell, diretor da Tikahau Capital North America, e a Cécilo Mayer-Lévi, directora de Dívida Privada.

Também houve novidades no mercado de ETF. A Lyxor criou o cargo de responsável de ETF Research e Solutions, liderado por Vincent Denoiseaux. O objetivo apoia duas ambições estratégicas para a Lyxor ETF: fortalecer a sua posição em vários segmentos chave do mercado e desenvolver ainda mais as suas alianças com os investidores.

Empresas