Tags: Ações |

Goldman Sachs Global Equity Partners Portfolio: construir uma perspetiva global, aproveitando perspetivas locais


A entidade gestora Goldman Sachs AM disponibilizou a seguinte informação sobre o fundo Goldman Sachs Global Equity Partners Portfolio, classificado com o selo Consistente pela Funds People, gerido por Suneil Mahindru​:

Goldman Sachs Global Equity Partners Portfolio

Breve descrição do fundo

O Goldman Sachs Global Equity Partners Portfolio é um portfólio concentrado de 25-40 ações1 que procura alcançar retornos em excesso de 300 pbs2 (brutos) versus o MSCI World Index durante um ciclo de mercado. O resarch proprietário com base numa abordagem bottom-up é o driver essencial do nosso processo de investimento e procuramos3 gerar a grande maioria do nosso alfa a partir do nosso processo de seleção de ações rigoroso. Acreditamos que esta abordagem bottom-up fundamental é a nossa alavanca mais forte para gerar alfa.

Principais diferenças face a produtos semelhantes no mercado

Pessoas – Pegada global: temos presença local e uma perspetiva global, com mais de 60 gestores de carteiras/ analistas de research em 6 escritórios globais.

Suneil Mahindru é o CIO of International Equity e o Gestor de Carteiras Máximo do Goldman Sachs Global Equity Partners Portfolio. Tem 24 anos de experiência de investimento4. É apoiado pela nossa equipa de Global Equity que é constituída por profissionais de investimento que servem como líderes de setores globais, bem como analistas principais de research para a nossa plataforma de Global Equity.

Filosofia – Preço e perspetivas: procuramos investir em empresas de qualidade com as características de negócios excelentes que não estão totalmente refletidas no preço da ação. Consideramos que as empresas de qualidade podem ser definidas por características que incluem equipas de gestão favoráveis para os acionistas, retornos elevados no capital investido e vantagens competitivas sustentáveis. O Goldman Sachs Global Equity Partners Portfolio investe em empresas que pensamos ter o potencial para gerar 50% retorno total5 durante um período de tempo de três anos. Devido à nossa ênfase na qualidade e valorização, esperamos que o portfolio seja resiliente em mercados em queda.

Processo – Construir uma perspetiva global, aproveitando perspetivas locais: o nosso processo integra perceções locais a nível de ações com uma coordenação centralizada ao nível do portfólio. Frequentemente, a comunicação em tempo real é crucial para identificar que candidatos de investimento fazem parte de uma carteira global.

Objetivos de investimento

O Goldman Sachs Global Equity Partners Portfolio é um portfolio concentrado entre 25-40 ações6 que procura alcançar retornos em excesso de 300 pbs7 (brutos) versus o MSCI World Index durante um ciclo de mercado. O research proprietário com uma abordagem bottom-up  é o driver essencial do nosso processo de investimento e procuramos gerar a grande maioria do nosso alfa pelo nosso processo de seleção de ações rigoroso. Acreditamos que esta abordagem bottom-up e fundamental é a nossa alavanca mais forte para gerar alfa.

Abordagem de investimento

Procuramos investir em empresas de qualidade com as características de negócios excelentes que não estão totalmente refletidas no preço de ação. Consideramos que empresas de qualidade podem ser definidas por características tais como equipas de gestão favoráveis aos acionistas, retornos elevados em capital investido e vantagens competitivas sustentáveis. Como gestor de investimento bottom-up a longo prazo outra parte importante da nossa filosofia é a valorização ou o preço. Procuramos empresas onde haja uma lacuna entre aquilo que achamos ser o valor intrínseco de uma empresa e o seu preço em ação. Também vemos mais além, nos próximos doze meses, realizamos análises usando métricas de valorização apropriadas para cada setor e procuramos ativos subvalorizados dentro de uma empresa.

O Goldman Sachs Global Equity Partners Portfolio procura investir em empresas que pensamos ter o potencial de gerar 50% do retorno total bruto durante um período de três anos. Devido à nossa ênfase na qualidade e valorização, esperamos que o portfolio seja resiliente em mercados em queda. O nosso estilo de investimento é core.

Restrições de investimento:

- Por posição

- Geográficas

- Setoriais

  • As posições de ações estão normalmente entre +/- os10% relativamente ao benchmark.
  • As posições de setores estão normalmente entre +/- os 15% relativamente ao benchmark.
  • As posições de países estão normalmente entre +/- os 15% relativamente ao benchmark.

Benchmark e tracking error

O portfolio é comparado ao MSCI World índex.

Embora o tracking error seja uma métrica que monitorizamos, as nossas equipas de investimento normalmente tomarão decisões baseadas nos nossos processos disciplinado em vez de lidar com um tracking error específico8.

Número de títulos e rotatividade

O portfolio tem um horizonte de investimento a longo prazo, uma baixa rotatividade, tendência de qualidade e títulos concentrados, abrangendo normalmente 25-40 ações.

Política de risco

A nível da gestão da carteira, o risco é medido e monitorizado de várias formas.

Acreditamos que o risco mais importante é não saber ou compreender totalmente o risco dos aspetos idiossincráticos de cada empresa que temos no portfolio. A equipa gere este risco através de uma pesquisa fundamental e aprofundada. O processo começa com uma análise minuciosa de demonstrações financeiras e registos públicos com um escrutínio acrescido aplicado às notas de rodapé e possíveis alertas. Os analistas de research visitam empresas, encontram-se com a administração e envolvem-se em debates profundos sobre as operações, performance financeira e fornecedores da empresa, para compreender melhor a dinâmica da indústria. Uma parte essencial de cada tese de investimento é construir um "bear case" para cada empresa que explica os riscos inerentes ao nosso investimento nessa empresa.

Os gestores de portfolio também são responsáveis por gerir o risco a nível da carteira. Recebem relatórios de títulos regularmente, o que lhes permite monitorizar continuamente os portfolios para determinar se os tamanhos das posições refletem adequadamente a nossa convicção de research. Embora o tracking error seja uma métrica que monitorizamos as nossas equipas de investimento normalmente tomarão decisões baseadas nos nossos processos disciplinados em vez de lidar com um tracking error específico9.

A terceira componente da gestão de risco10 ao nível da gestão do portfolio é a construção de um portfolio disciplinado. No dia-a-dia, a gestão de risco é considerada à medida que o portfolio é construído. Monitorizamos continuamente as ponderações ativas da carteira relativamente ao benchmark ao nível de um setor, indústria e ação para assegurar que as nossas ponderações ativas refletem adequadamente as nossas convicções de research. Mantemos um portfolio equilibrado com o objetivo de conduzir a maioria do risco da seleção de ações em vez de outros fatores não específicos a ações tal como o sentido de oportunidade de mercado, beta, setor ou outras exposições de fatores.

Ao nível mais vasto da equipa Fundamental Equity , melhorámos o nosso processo de construção de carteiras de forma a evitar que nuances específicas de determinadas ações sejam esmagadas por riscos não específicos das ações. O risco da carteira é monitorizado através de várias lentes, expondo componentes específicas e não específicos a ações, complementando, assim, quebras de risco mais tradicionais ao nível do setor e indústria. Temos um Fundamental Equity Global Chief Risk Officer, Silverio Foresi, cuja responsabilidade é avaliar e analisar o risco ao longo das estratégias Fundamental Equity. A combinação destes dois elementos fomenta uma discussão mais robusta e granular do risco de estratégia com o objetivo de enfatizar ainda mais, onde adequado, as nossas perspetivas de ações em estratégias de clientes. O objetivo final é um perfil de risco-recompensa melhor: retornos mais elevados específicos a ações com menos risco. O processo de construção do portfolio não muda o nosso research de seleção de ações ; melhora estratégias apenas porque pode limitar riscos imprevistos.

Política de liquidez

Procuramos gerir a liquidez do portfolio de acordo com: a estratégia de investimento do portfolio; com os pedidos de resgates dos investidores e com a política de resgate do portfolio; as condições de mercado macroeconómico mais amplas, e em todas as alturas de mercado. 

Implementamos avaliações quantitativas (onde possível), padrões de qualidade para vários tipos de ativos, ou uma combinação de ambos os padrões qualitativos e quantitativos para determinar, gerir e monitorizar o rico de liquidez.

Na execução da nossa estratégia estamos cientes da liquidez dos nossos títulos, impacto de transações, fluxos de caixa e outros fatores que afetam a liquidez do portfolio no geral e a nossa capacidade em particular. Prestamos especial atenção à liquidez de uma ação aquando a medição das posições individuais no portfolio. Procuramos normalmente investir em ações que têm liquidez suficiente para nos permitir tomar uma posição significativa e liquidar, se quisermos.

Se quiser mais informações sobre o nosso quadro de liquidez ou mercados específicos, podemos marcar uma reunião com o representante adequado da GSAM.

Cobertura cambial

Não fazemos cobertura cambial às nossas exposições cambiais. Acreditamos que o nosso conhecimento assenta no stock picking. Não consideramos que temos uma perceção acrescida acerca do que o mercado faz para prever os movimentos forex. No entanto, temos em conta a curva forward nos nossos modelos de empresa e as previsões de rendimentos ao incorporar as perspetivas de consenso na moeda. Também prestamos muita atenção a alertas tais como empresas com fluxos de receitas de moedas predominantemente local emitindo dívida de divisa estrangeira.

Uso de derivados

O portfolio normalmente não implementa derivados. Podemos, contudo, deter futuros sobre índices uma vez que nos permite expor as nossas posições de liquidez a equity para financiar novas ideias de investimento e facilitar resgates.

 

                                                          
1Typical number of holdings are subject to change and are current as of the date of this document. Expected returns are estimates of hypothetical average returns of economic asset classes derived from statistical models. There can be no assurance that these returns can be achieved.  Actual returns are likely to vary.  Please see additional disclosures.

2Targets are subject to change and are current as of the date of this presentation. Targets are objectives and do not provide any assurance as to future results.

3There is no guarantee that these objectives will be met.

4As of March 31, 2018

5Expected returns are estimates of hypothetical average returns of economic asset classes derived from statistical models. There can be no assurance that these returns can be achieved.  Actual returns are likely to vary.  Please see additional disclosures.

6Typical number of holdings are subject to change and are current as of the date of this document. Expected returns are estimates of hypothetical average returns of economic asset classes derived from statistical models. There can be no assurance that these returns can be achieved.  Actual returns are likely to vary.  Please see additional disclosures.

7Targets are subject to change and are current as of the date of this presentation. Targets are objectives and do not provide any assurance as to future results. 

8The portfolio risk management process includes an effort to monitor and manage risk, but does not imply low risk. 

9The portfolio risk management process includes an effort to monitor and manage risk, but does not imply low risk.

10The portfolio risk management process includes an effort to monitor and manage risk, but does not imply low risk. 

Empresas

Notícias relacionadas