Tags: Ações |

Goldman Sachs Global CORE® Equity Portfolio - Gestão com recurso a fontes de dados tradicionais e alternativas


A entidade gestora Goldman Sachs AM disponibilizou a seguinte informação sobre o fundo Global CORE® Equity Portfolio, classificado com o selo Consistente pela Funds People, gerido pela equipa QIS liderada por Gary Chropuvka:

1) Breve descrição do fundo:

O Goldman Sachs Global CORE® Equity Portfolio (LU0203365449) é um fundo 5 estrelas1  classificado pela Morningstar e encontra-se no primeiro decil para os períodos de 1, 3 e cinco anos à data de 30 de abril de 2018. O Portfolio é uma abordagem detalhada e de gestão de risco para investimentos em ações. O portfolio está elaborado para investores em mercados globais, procurando acrescentar valor através de várias fontes de retornos - seleção de ações bottom-up e seleção de país top-down.

2) Principais diferenças entre produtos semelhantes no mercado:

O nosso processo de investimento procura beneficiar de várias anomalias que existem nos mercados de ações2. Procuramos identificar empresas que estão mal avaliadas, empresas que estão posicionadas para aumentar o seu negócio para além da expectativa de mercado e empresas que beneficiam de temas positivos, tendências e sentimento. Os nossos modelos ajudam-nos a avaliar empresas nestes aspetos e identificar aquelas que parecem mais apelativas nas três anomalias.

Aquilo que nos diferencia é o facto de acreditarmos que podemos utilizar fontes de dados tradicionais e alternativas em conjunto para identificar efetivamente investimentos atrativos antes de o mercado conseguir valorizar totalmente o seu potencial. As fontes de dados alternativas que utilizamos provaram ser úteis ao nos fornecerem esta vantagem informativa. Enquanto dados tradicionais tais como as demonstrações financeiras contêm retratos úteis do último trimestre ou ano, o nosso trabalho como investidores também requer que antecipemos e olhemos para o futuro.

Uma vantagem competitiva essencial no esforço é o facto de conseguirmos aceder prontamente e utilizar grandes montantes de fontes de dados alternativos publicamente disponíveis como parte integrante da Goldman Sachs. Esta informação não só é difícil de compilar, como também a análise de grandes conjuntos de dados exige uma vasta gama de várias tecnologias e conjunto de capacidades. A nossa equipa de estrategas (que nos ajudam a criar modelos de investimento) e técnicos (que nos ajudam a criar sistemas analíticos e de infraestruturas) alavancam a plataforma de vasta tecnologia da Goldamn Sachs para processar estes dados e retirar conclusões. As suas capacidades para contruir sobre recursos já existentes dentro da empresa são fundamentais para o nosso uso de técnicas avançadas como aprendizagem automática e processamento de linguagem natural (leitura ótica).

Aproveitar este tipo de recursos de dados alternativos permite aos nossos portfolios produzir retornos que são menos correlacionados3 com os nossos pares, fazendo da nossa estratégia apelativa num quadro de multi gestores.

Acreditamos que o nosso produto e gestora têm várias vantagens competitivas essenciais na gestão de carteiras. Abaixo, encontram-se diversas características relevantes que, na nossa perspetiva, distingue-nos dos outros:

  1. Uma equipa de investimento líder: a equipa de Estratégias de Investimento Quantitativas da GSAM é composta por mais de 90 profissionais de investimento, com mais 704 profissionais dedicados ao comércio, tecnologia de informação e ao desenvolvimento de ferramentas analíticas. Armen Avanessians (CIO) e Gary Chropuvka são co-responsáveis  da equipa de EIQ. Juntos, possuem em média, 28 anos de experiência na indústria. A equipa de EIQ oferece uma grande experiência em ações, obrigações, moedas, mercados de commodities, bem como capacidades de beta e de hedge, e muitos membros da equipa já foram publicados em revistas académicas de renome.
  2. Esforço de investigação robusto e crescente: A IEQ, tal como todos da Goldman Sachs Asset Management, estão firmemente empenhados na investigação. A equipa de investigação consiste em vários profissionais altamente experientes e com uma boa formação que estão constantemente focados em melhorar todos os aspetos do processo de investimento.
  3. Abordagem de investimento disciplinada e detalhada: Em contraste com os stock pickers ais fundamentais e até alguns gestores que são considerados quantitativos, temos uma abordagem extremamente sistemática e disciplinada ao investimento. O nosso processo permite-nos focar em todas as ações dentro do nosso universo de investimento todos os dias. Ao implementar uma abordagem sistemática, almejamos ter resultados de fontes intencionais e consistentes.
  4. Modelos diários de risco proprietários: muitas gestoras que gerem os riscos nas suas carteiras apoiam-se em modelos gerais de risco mensais. Contudo, nós criámos os nossos próprios processos específicos de modelos de risco diário que oferece inúmeras possíveis vantagens em relação a modelos de terceiros. A nossa construção de carteiras utilizando estes modelos está desenhada para gerir riscos – e alocar risco só onde acreditamos que existe potencial para retornos positivos.
  5. Processo de seleção robusto: A nossa sofisticada seleção de país top-down procura fornecer uma fonte de retorno não relacionada, o que pode levar a alfas maiores em níveis de risco menores.
  6. Grupo de gestão de risco independente: procuramos estar na vanguarda da gestão de risco tanto dentro do nosso processo de investimento como também em torno da gestora no geral. Uma área onde isto é particularmente evidente é no departamento independente da Análise de Risco de Mercado (MRA), cujos papéis incluem vigiar o risco dos produtos de todas as divisões e carteiras independentes do processo de gestão de carteiras. O departamento desenvolveu uma organização de grande divisão que tem como objetivo acompanhar o nível de risco absoluto e relativo (i.e., versus o benchmark) corrido por cada de todas as carteiras sob gestão.

Acreditamos que as vantagens supramencionadas permite-nos fornecer um produto melhor, mais robusto e mais consistente aos nossos clientes.

3) Objetivos de Investimento5:

Nome Portfolio

Alpha Esperado

Tracking Error6 7 Esperado

Global CORE®

2.65%

3.50%

 

 As previsões supramencionadas são previsões a longo prazo. (numa base de retorno líquido) para cada fundo CORE®. A nossa definição de longo prazo é baseada num ciclo de mercado completo de 3-5 anos. O objetivo8 da nossa equipa de gestão de carteiras é ultrapassar um determinado índice através de sobre-exposições a ações e países que acreditamos ser mais prováveis de ultrapassar o índice, enquanto subexposições a ações e países irá perder terreno.

4) Enfoque de Investimento:

Estamos focados em criar modelos de investimento impulsionados por dados que podem avaliar objetivamente empresas públicas a nível global através de temas de investimento baseados em fundamentais e motivados economicamente:

  • Más avaliações fundamentais: Acreditamos que comprar negócios de alta qualidade a um preço justo leva a um forte desempenho a longo prazo.  Exemplo: Para empresas petrolíferas, as suas reservas de óleo comprovadas podem constituir uma porção significativa do seu valor intrínseco fundamental. Este valor pode não ser totalmente tido em conta pelos rácios de valorização tradicionais. Desenvolvemos valorizações personalizadas baseadas em reservas de óleo para identificar valores apelativos no setor da energia.
  • Modelos de Negócios de Alta Qualidade: Acreditamos em empresas que geram receitas de alta qualidade com modelos de negócios sustentáveis e incentivos de gestão alinhados. Exemplo: Utilizar dados de tráfego da web para identificar empresas que estão a conduzir com sucesso vendas crescentes no seu website e a chegar a um púbico abrangente de consumidores.
  • Temas e Tendências de Mercado: Os mercados globais estão cada vez mais a serem impulsionados por temas e tendências. Acreditamos que fontes de dados alternativos podem fornecer-nos uma perspetiva nas tendências que afetam empresas a nível global, tendências que outros investidores podem não estar a ver. Exemplo: Ao analisar patentes arquivadas pelas empresas em todo o mundo, podemos identificar empresas expostas a tendências de tecnologia emergente e aquelas com mais capital intelectual valioso.
  • Análise de Sentimento: Acreditamos que outros participantes de mercado podem fornecer informação valiosa para complementar a nossa própria análise. Ao analisar o sentimento no geral de mercado, acreditamos que conseguimos obter uma perceção sobre o futuro do desempenho das ações. Exemplo: Utilizamos o processamento de linguagem natural (a capacidade que os computadores têm de ler os textos humanos) para analisar grandes quantidades de notícias em todo o mundo para recolher conhecimentos sobre o sentimento de mercado e que empresas podem ser as beneficiárias do sentimento positivo.

 5) Investimento5

Nome Portfolio

Por Posição

Geográfico

Sectorial

Global CORE®

+/- 2% do benchmark

+/- 8% do benchmark (ambos os processos de seleção de ações e de países)

+/- 2% do benchmark (apenas o processo de seleção de ações)

6) Benchmark e Tracking Error5:

Nome Portfolio

Benchmark

Tracking Error Líquidp (A partir do início, 30 abril, 2018)

Global CORE®

MSCI World Index

3.37%

 

 

 

 

 

7) Número de Ações a partir de 30 de abril, 20185:

Nome Portfolio

Número de Ações

Global CORE®

323

8) Rotatividade, últimos 12 meses a partir do dia 30 de abril, 20185:

Nome Portfolio

Rotatividade9 (%)

Global CORE®

129

 

 

 

 

9) Política de Risco:

O risco é definido como o tracking error versus um benchmark específico e, assim, ter como alvo o tracking error é um objetivo explícito do nosso processo. Procuramos ultrapassar o benchmark ao manter um perfil de risco semelhante, mas ter sobre-exposição a ações e países acreditamos que irá ultrapassar o benchmark, e ter sub-exposição àqueles que poderão ficar para trás. Queremos tomar posições ativas que achamos que terão sucesso, tal como ter uma carteira com características de um valor e momentum melhores do que o benchmark e ao mesmo tempo queremos evitar correr riscos em áreas onde não acreditamos que iremos ser compensados por esse risco, tal como sobre ou sub-exposições setoriais. Utilizamos otimização de carteiras para determinar as características dos riscos, exposições setoriais e a países relativas ao índice10. Globalmente, o risco no processo de investimento é medido como tracking error ou a volatilidade dos retornos em excesso.

 

As nossas principais ferramentas de risco são:

 

  1. O modelo de risco proprietário, que avalia as características de risco de ações individuais e da carteira em geral. Tem as seguintes características principais:

Dados diários:

Para conseguir reter os novos riscos no mercado, atualizamos o nosso modelo com dados diários e damos mais importância na informação mais recente. Muitos modelos comercialmente disponíveis preveem riscos utilizando retornos mensais, que requer vários anos de dados para uma análise estatística válida. Todos os meses dá-se a mesma importância no cálculo de características de risco de uma empresa. Deste modo, os modelos comerciais podem ser lentos em responder tanto à nova volatilidade e correlação como também ao aparecimento de novas indústrias/fatores (ex. Internet).

Processo específico:

Os nossos modelos de risco, ao contrário dos modelos de terceiros, incluem todas as variáveis (temas de investimento) dos nossos modelos de retorno. Isto permite-nos colocar mais risco em áreas onde esperamos retornos proporcionais – nomeadamente, os nossos temas de investimento – e reduzir o risco noutras áreas. Também nos permite reconhecer a correlação entre temas, o que confere aos nossos portfolios uma maior exposição para cada tema de investimento nosso do que um modelo comercial nos poderia conferir.

Transparência:

Acreditamos que o nosso modelo é transparente. Consequentemente, conseguimos compreender precisamente o risco que medimos e também ajustar o modelo se a ocasião se proporcionar. Com modelos de terceiros, os gestores geralmente só são capazes de adicionar restrições. Isto poderá reduzir o risco no portfolio de modo geral, mas também poderá restringir o processo de otimização até os retornos sofrerem também.

Para além disso, para reter outras fontes de risco, o nosso modelo de risco proprietário também inclui vários fatores de controlo, tal como a volatilidade, além dos nossos temas de investimento. Estes são fatores para os quais não temos perspetivas claras, mas exposições inesperadas podem ser uma fonte de risco ativo e, por isso, deverá ser gerido. Então, para gerir adequadamente o risco11, precisamos de incluir estes fatores de controlo no nosso modelo de risco. Na verdade, o nosso modelo de risco proprietário retém muitos dos mesmos riscos bem como outros modelos de terceiros, mas também retém riscos que são específicos ao nosso processo.

                    2. O otimizador proprietário, que nos permite maximizar a liquidez do excesso de retorno do portfolio esperada de custos de transação, sujeita ao tracking error esperado e outros objetivos12 da carteira.

3. Gestão da Liquidez, que limita compras ou vendas de uma ação relativa ao seu volume de transações diário esperado.

10) Política de Liquidez:

Procuramos assegurar que apenas compramos ou vendemos ações se o aumento em retorno esperado de uma transação do portfolio exceder o custo da transação. Assim, não existem exigências de liquidez duras; mas são sim determinadas caso a caso, uma vez que todos os reajustamentos do portfolio estão a ser considerados. Consideramos, no entanto, limitar compras ou vendas de uma ação relativa ao seu volume de transações esperado. A gestão da liquidez é um dos nossos principais controlos de risco. Embora não incluamos ou excluamos empresas baseado apenas no seu volume diário médio, limitamos a compra de securities onde as nossas carteiras através de todas as contas numa dada estratégia são demasiado largas relativas ao volume de transações. Não temos limites explícitos de capitalização de mercado; em vez disso, a nossa gama de capitalização de mercado está geralmente em linha com o benchmark.

 

11) Cobertura cambial:

Alguns dos nossos fundos SICAV oferecem classes de ativos de cobertura de moedas. A cobertura é feita em níveis específicos de classes de ativos (apenas para classes de ativos cobertos apenas).

As classes com cobertura da gama CORE® Equity Portfolios têm como objetivo diminuir o risco de moeda ao utilizar uma variedade de técnicas de cobertura. Tenha em atenção que as classes de ativo procuram cobrir apenas as exposições cambiais no Benchmark de Referência do Portfolio à moeda da classe de ativo. Pode haver exposições cambiais residuais que permanecem sem cobertura no Portfolio como consequência das diferentes exposições cambiais entre o Benchmark de Referência e o Portfolio em qualquer momento. Deve ter em atenção que uma variedade de técnicas pode ser usada para a afetar a cobertura cambial que envolve riscos adicionais e não há garantia que a tal cobertura terá sucesso. O processo de cobertura tem como objetivo apenas diminuir o risco cambial e não pretende melhorar retornos. Utilizamos normalmente contratos à vista e a prazo com o objetivo de cobrir e são prolongados mensalmente.

A componente de cobertura do portfolio é gerida pela equipa de Construção de Portfolio & Transações (“PCT”) dentro do nosso negócio de Estratégias de Prémios de Riscos Alternativos. A equipa PCT é liderada por Christian Morgenstern e cobre todas as classes de ativo (ações, obrigações, commodities, moedas, crédito e volatilidade) em todos os instrumentos listados e OTC. A partir do dia 31 de março, 2018, a equipa PCT consiste em quatro profissionais que estão embebidos dentro da equipa de Gestão do Portfolio.

 

12) Uso de Derivados:

The CORE® Equity Portfolios utiliza derivados apenas para propósitos de cobertura incluindo para a igualdade de posições financeiras no portfolio.

 

12There is no guarantee that these objectives will be met.

 

11The portfolio risk management process includes an effort to monitor and manage risk, but does not imply low risk.

 

10The portfolio risk management process includes an effort to monitor and manage risk, but does not imply low risk. Targets are objectives and do not provide any assurance as to future results.  Please see additional disclosures.


9Discretionary turnover is calculated as the aggregate of turnovers for each rebalance during the specified period. Each rebalance turnover is calculated as the lesser value of buy or sell transactions divided by the portfolio value at the time of rebalance.


8There is no guarantee that these objectives will be met.


6Targets are subject to change and are current as of the date of this presentation.  Targets are objectives and do not provide any assurance as to future results.  Please see additional disclosures.

7The portfolio risk management process includes an effort to monitor and manage risk, but does not imply low risk. There is no guarantee that these objectives will be met.

 

5Source: GSAM

4As of 31 March, 2018


2There is no guarantee that these objectives will be met.

3Past correlations are not indicative of future correlations, which may vary.


1Goldman Sachs Global CORE Equity Portfolio Base Distribution Snap share class.

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido