Gestores de activos estrangeiros têm valor negativo de investimento desde a crise


Os gestores de activos são, juntamente com os seguros e fundos de pensões, os investidores não residentes "que registam desde a crise valores globais negativos de investimento líquido em Portugal", conclui um estudo da CMVM divulgado ontem.

De acordo com o documento, o investimento líquido mensal médio foi, desde Agosto de 2007, negativo em 1.949.578 euros, no caso da gestão de activos (com 30 meses positivo e 28 negativo), e negativo em 415.140 euros no dos seguros e fundos de pensões (19 meses positivo e 17 meses negativo).

No caso dos intermediários financeiros, o valor médio foi positivo em 2.834.491 euros, no dos não institucionais em 15.899.349, enquanto na categoria de outros investidores institucionais o investimento líquido mensal médio foi de 1.767.750 euros, segundo o referido estudo da entidade de supervisão.

Analisando a evolução do investimento ao longo do tempo, o estudo sobre "O comportamento dos investidores não residentes e a evolução da Euronext Lisbon" conclui que, o dos gestores de activos e dos intermediários financeiros "apresenta fortes movimentos, oscilando entre valores negativos e positivos a seguir ao verão de 2007, a que se seguiu posteriormente um padrão mais estável".

Este padrão temporal, sublinha, "implicou maior volatilidade do investimento líquido realizado pelos gestores de activos, pelos intermediários financeiros e pelos outros investidores institucionais". Em termos globais, nota o estudo, a volatilidade do investimento líquido "reduziu-se substancialmente após o início da crise", evolução que "surge no quadro da diminuição substancial do valor das ordens de compra e de venda". 

O Mais Lido