Gestoras nacionais oscilam no rating de sustentabilidade da Morningstar


No final do ano passado a FundsPeople trouxe-lhe uma análise do posicionamento das entidades gestoras nacionais no que toca aos níveis de sustentabilidade presente nos portefólios dos seus fundos. Esta métrica é medida através do Morningstar Sustainability rating, um índice elaborado a partir dos dados fornecidos pela Sustainalytics e que atribui uma classificação de sustentabilidade a todos os fundos mobiliários contemplados na sua base de dados com pelo menos 50% dos seus ativos investidos em empresas às quais a Sustainalytics atribuiu classificações ESG.

Recentemente, apresentávamos-lhe as estratégias nacionais que figuravam com melhores classificações deste rating, num total de 31 fundos destacados. Neste artigo, porém, tomamos a perspetiva das entidades, apresentando aquelas que se destacaram nesta métrica verde ao longo dos últimos meses, com dados da Morningstar Direct referentes ao período compreendido entre setembro de 2019 e abril de 2020.

Rui_Arau_jo

(Clique na Imagem para ampliar)

Para tal, replicámos a metodologia empregue no artigo anterior: sendo o rating atribuído entre um e cinco “globos”, de baixo, a elevado, passando por abaixo da média, na média e acima da média, atribuímos a cada uma das classificações um score referente ao ponto médio do percentil em que se incluem. Com o cálculo da média simples dos fundos classificados por entidade a cada mês chegamos aos resultados apresentados na tabela abaixo.

Morningstar_Sustainability_gestoras

(Clique na Imagem para ampliar)

Um primeiro ponto de destaque prende-se com o facto de ter aumentado o número de fundos que apresentam uma classificação de sustentabilidade da Morningstar: são agora 102 os contemplados, com referência a abril de 2020, mais 13 do que em setembro de 2019 (últimos dados disponíveis). A nível macro, há que salientar também a oscilação registada nesta métrica pelas entidades gestoras: desde a última data de análise que o valor médio do índice de sustentabilidade tem vindo a baixar. Este é um comportamento que já se vinha a verificar na última análise, e pode ser resultante da entrada de novos fundos com uma classificação mais baixa, ou mesmo de rebalanceamento a nível dos portefólios.

Em termos de entidades, destaque novamente para o Haitong, cujos fundos conseguem uma classificação média superior a 80 pontos. Também os fundos da Santander Asset Management herdados da Popular Gestão de Activos, se colocam na linha da frente com uma pontuação média de 65 pontos, logo seguida da BPI Gestão de Activos, com uma média de 59 no período em análise. De forma semelhante, os fundos domiciliados no Luxemburgo por parte desta entidade (Caixabank AM) atingem um lugar de destaque, com uma média de 53 pontos, ultrapassada, no entanto, pela Caixa Gestão de Ativos que regista uma pontuação média de 57 pontos.

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido