Gestão de patrimónios: mexidas no top 10 do segmento


O terceiro trimestre do ano encerrou com a fasquia da gestão de patrimónios a elevar-se: os ativos sob gestão do segmento terminaram nos 64,6 mil milhões de euros, reporta a CMVM, o que é indicativo de um crescimento trimestral de 1% no montante global do segmento, e de 3% face ao mesmo período do ano passado.

Os indicadores trimestrais da gestão de ativos divulgados pela CMVM dão conta desse crescimento, mas falam também de um impulsionador desse aumento. O conjunto de entidades a fazer gestão de carteiras por conta de outrem em Portugal subiu para 38, com uma entrada direta para o top 10: trata-se da LM Capital Wealth Management, entidade que, segundo o site da CMVM, opera em Portugal desde abril passado, e que conta com 752 milhões de euros de ativos sob gestão, e uma quota de mercado de 1,2%. A entidade entra assim diretamente para o nono lugar deste ranking, posicionando-se à frente de entidades como a Golden Wealth Management ou a Bankinter Gestão de Activos.

Na mesma lógica de incremento, destaque também para o Banco Santander Totta, que na listagem aparece agora com 456,1 milhões de euros de montante gerido por conta de outrem.

Os maiores crescimentos trimestrais

No que toca às entidades que conseguiram maior avanço trimestral, o destaque vai para a BPI Gestão de Activos que conseguiu um avanço de 0,17 pontos percentuais na sua quota de mercado, tendo terminado junho nos 7.117 milhões de euros de montante gerido, e uma quota de mercado de 11%. Quota de mercado essa que também avançou em comparação com o mesmo período do ano passado, no caso 0,02 pontos percentuais.

Destaque também para o BCP: a quota de mercado da entidade avançou 0,1 pontos percentuais face ao segundo trimestre do ano, enquanto que comparativamente com o mesmo período de 2017 o aumento é de 0,3 p.p.

Captura_de_ecra__2018-08-21__a_s_16

Fonte: CMVM, 30 de junho 
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido