Tags: Negócio |

Gestão de patrimónios em Portugal: as entidades que se destacaram em 2016


Foi um ano de abrandamento do crescimento no segmento. O mais recente relatório da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios (APFIPP) revela que os ativos sob gestão no segmento da gestão de patrimónios atingiram os 56.032,6 milhões de euros no final de dezembro, menos 6,8% do que no final de 2015. De acordo com a APFIPP, os dados relativos às doze entidades que estão registadas na Associação representam mais de 90,5% do valor total de gestão individual de ativos em Portugal (dados da CMVM).

Quem gere mais património

Tal como no ano passado, a entidade que gere mais património continua a ser a Caixagest, com a gestão de 21.927, 9 milhões de euros e uma quota de 39,1%. O segundo lugar também se repete e pertence à BMO GAM (F&C Portugal), com um património de 13.033,2 milhões de euros e 23,3% de quota. No entanto, ambas as entidades registaram uma quebra na gestão de ativos desde o início do ano: 1,8% e 4,5%, respetivamente. Ainda no top 4 das sociedades gestoras com maior volume de ativos estão a GNB – SGP, com 6.659,2 milhões de euros e uma quota de 11,9%, e a BPI Gestão de Activos, com 6.563,9 milhões e uma quota de 11,7%.

As entidades que mais cresceram

Quanto às sociedades gestoras que registaram um maior aumento percentual dos ativos geridos, destaca-se a Orey Financial, com um crescimento de 11,7% (0,1 milhões de euros). Já a Optimize Investment Partners, revela o relatório da APFIPP, registou uma subida de 4%. Em valores absolutos, foi a Montepio Gestão de Activos a entidade que mais cresceu, com um crescimento em 73,4 milhões de euros (5%).

Dezembro foi um mês de crescimento

Apesar de desde o início do ano se ter registado um decréscimo de 6,8% nos montantes sob gestão, dezembro foi um mês de crescimento. O valor das carteiras sob gestão discricionária atingiu 56.032,6 milhões de euros, representando um aumento de 0,8 face ao mês de novembro. Digno de nota no último mês de 2016 é o crescimento percentual da Dunas Capital – Gestão de Activos, com 22,1%, o equivalente a 1,4 milhões de euros, e o crescimento em valores absolutos da Santander Asset Management, com 91 milhões de euros (2,4%).

 

Notícias relacionadas

O Mais Lido