Gabriela Figueiredo Dias (CMVM): “Temos de fazer algo para recuperar a confiança dos investidores, pois sem investidores não há mercado”


“Recuperar a confiança dos investidores depois de uma crise de confiança nos reguladores que permanece”. Foi desta forma que a presidente da CMVM, Gabriela Figueiredo Dias,  iniciou esta quinta-feira uma conferência de imprensa focada nas Prioridades do regulador para 2020. A representante da entidade referiu que na instituição têm de “fazer algo para recuperar essa confiança pois sem investidores não há mercado”.

Nas cinco prioridades que a CMVM coloca para 2020 estão:

1. Promover regulação e supervisão mais simples, focadas e proporcionais.

2. Robustecer a supervisão do governo das entidades supervisionadas.

3. Reforçar medidas dissuasoras de más práticas e a atividade sancionatória.

4. Contribuir para o aprofundamento das finanças sustentáveis e acompanhar a inovação financeira

5. Melhorar a organização e o serviço público prestado aos investidores e ao mercado.

Greenwashing na mira 

No que toca ao quarto ponto, referente, às finanças sustentáveis, Gabriela Figueiredo Dias concretizou a atenção que querem ter na identificação de potenciais práticas de greenwashing no mercado. No documento redigido pela entidade pode mesmo ler-se sobre a necessidade de confronto entre “as declarações dos gestores e comercializadores de fundos em matéria de compromisso com a sustentabilidade com as suas políticas de investimento e a atividade acionista dos primeiros nas empresas participadas”.

Nas prioridades da CMVM para 2020 por área de atuação, a entidade especifica para os fundos e investimento e gestão de carteiras algumas nuances. Entre vários pontos, destaque para o “foco redobrado na avaliação inicial e supervisão contínua da adequação dos membros de órgãos sociais e titulares de participações qualificadas”, a  “identificação de necessidades especiais de supervisão relacionadas com a divulgação de informação sobre sustentabilidade”, ou o “reforço da supervisão prudencial de entidades supervisionadas, com enfoque na análise da solidez financeira, modelos de negócio e gestão de liquidez de organismos de investimento coletivo”.

Consulte aqui o documento na íntegra.

Profissionais

Notícias relacionadas

Anterior 1 2 Siguiente

Próximos eventos