Fundsmith Equity: aproveitando oportunidades na China


Quando se pergunta ao gestor Terry Smith, que também é o diretor de investimentos da entidade gestora, sobre a filosofia deste fundo da Fundsmith, este é muito claro. "Procuramos investir apenas em boas empresas, tentamos não pagar demais por elas e de seguida tentamos não fazer nada – o nosso rácio de rotatividade (turnover) é muito baixo". De facto, presentemente a sua carteira é das mais concentradas, especialmente por se tratar de um fundo de ações global com um universo de investimentos amplo. Tanto assim é que o portfólio é composto por apenas 30 títulos. Isso explica porque é que o fundo não tem em consideração o índice de referência para selecionar essas empresas, já que a sua active share é superior a 90%.

Atualmente, de acordo com dados da Morningstar, grande parte da carteira deste fundo com Selo FundsPeople 2020 pelas suas classificações A (favorito dos analistas) e C (consistente), está investida nos EUA (mais de 60% do total), embora não seja no mercado americano onde a equipa de gestão encontra as maiores oportunidades de investimento do momento. “Comprámos duas novas ações na recente turbulência do mercado. Ambas eram empresas afetadas pelos acontecimentos na China. Ainda não revelámos os seus nomes", afirma o gestor.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas