Tags: Negócio |

Fundos mobiliários nacionais fecharam 2016 com um montante sob gestão superior a 11.100 milhões de euros


A CMVM já publicou o seu relatório mensal onde mostra os "indicadores de síntese dos organismos de investimento coletivo e dos fundos de investimento alternativo”. Nessa publicação, é possível ver que "o valor sob gestão dos organismos de investimento coletivo em valores mobiliários (OICVM) totalizou 8.744,6 milhões de euros, mais 212,2 milhões de euros (2,5%) do que em novembro. Nos fundos de investimento alternativo (FIA) o valor sob gestão subiu 1,7% para 2.356,1 milhões de euros".

Ou seja, dezembro representou um último mês de 2016 positivo para a indústria dos fundos de investimento em Portugal e consolidando uma estabilização\inversão da tendência de queda. No entanto, no decorrer de 2016, o valor total dos ativos sob gestão (OICVM+FIA) caiu mais de 7%, para um total superior a 11.100 milhões de euros. A maior descida, em termos percentuais, ocorreu nos FIA que num ano viram o seu valor sob gestão decrescer mais de 21,5%. O gráfico seguinte mostra a evolução dos OICVM e dos FIA ao longo de 2016.

OIcvm_FIA_2016

Fonte: CMVM

Sonae SGPS fechou 2016 como a cotada nacional preferida

No final do ano, a cotada nacional que mais investimento recebeu por parte dos OICVM nacionais foi a Sonae SGPS. No final de dezembro o montante total ascendia a 15,4 milhões de euros, mais 9,3% do que o valor registado no final de novembro. Os CTT Correios de Portugal e a Navigator são as cotadas que se seguem, com um valor total superior a 14,5 milhões de euros.

Fora do mercado nacional, a Siemens continua a ser a cotada preferida na União Europeia (mais de 17,3 milhões de euros), ficando à frente da BASF e ainda da LVMH. Já Apple lidera fora da União Europeia (com 16,9 milhões de euros), seguindo-se a Johnson & Johnson e a Microsoft.

 

O Mais Lido