Tags: Gestores |

Fundos mistos “assumem maior relevância” em contextos de elevada incerteza


Funds People Portugal entrevista Cristina Brízido, Directora-Adjunta da Caixagest, sobre o Melhor Fundo Nacional Misto Euro Moderados, Caixagest Estratégia Arrojada FI

- Qual o universo de investimento do fundo?
Sendo um fundo misto, o universo de investimento compreende várias classes de activos como acções, obrigações e instrumentos de mercado monetário. O investimento é realizado tanto directamente nos instrumentos financeiro referidos, como através de fundos de investimento seleccionados. A carteira estará investida predominantemente na moeda Euro, mas tem também exposição a outras divisas dos mercados onde investe.

- Como escolhem os activos nos quais pretendem investir?
A primeira fase do processo de investimento do Fundo Caixagest Estratégia Arrojada (e dos restantes fundos mistos geridos pela Caixagest) passa por um processo quantitativo de optimização que permite definir uma carteira modelo com pesos centrais de exposição ás várias classes de activos. É sobre esta base de trabalho que depois são aplicados os desvios de alocação de peso que permitem a obtenção de valor, em função das visões conjunturais da equipa de investimentos. A outra fase do processo de investimento diz respeito á selecção das componentes que integrarão cada classe de activos e onde são abordados vários elementos que vão desde a exposição geográfica, a uma análise fundamental detalhada ou ao tipo de instrumento financeiro pretendido. Nesta fase, são reunidos pelo gestor do fundo os contributos das várias equipas da Caixagest nestas matérias, como sejam a equipa de rendimento fixo, a equipa de acções ou de selecção de fundos. Ao longo de todo o processo descrito, é efectuada uma monitorização contínua dos principais factores de risco da carteira.

- Qual é o tipo de abordagem feito: bottom-up, top-down ou uma mistura?
O processo de investimento do fundo Caixagest Estratégia Arrojada (e dos restantes fundos mistos geridos pela Caixagest) compreende uma mistura das abordagens top down e bottom up, enquadradas por uma sólida análise macroeconómica Acreditamos que esta é a melhor forma de abordar a gestão de um fundo misto, na medida em que se torna possível explorar todas as potencias fontes de valor acrescentado, em termos de alocação entre classes de activos e de selecção de títulos.

- Qual é o património e composição da carteira do fundo?
Á data de final de Maio, os activos sob gestão do fundo totalizavam cerca de 5 milhões de Euros. A carteira encontra-se diversificada por várias classes de activos, sendo que, tratando-se de um fundo misto predominantemente de acções, a exposição a esta classe de activos situar-se-á tipicamente entre 1/3 e 2/3 do seu valor total.

- Qual é a rotação da carteira?
No último ano, o fundo apresentou uma rotação de cerca de 2.5 vezes.

- Quais são as vossas expectativas de rendibilidade para os próximos doze meses?
As expectativas futuras para a evolução de rendibilidade dos próximos doze meses são moderadamente positivas. Os investidores apresentam actualmente fortes níveis de aversão ao risco, em razão da forte volatilidade apresentada pelos mercados financeiros nos últimos anos e, também, fruto da actual situação de instabilidade política e económica na Europa, das dúvidas que ainda persistem sobre a recuperação da economia americana e dos receios de um abrandamento forte na China. Assim, os investidores estão colocados perante o desafio de potenciarem a rendibilidade das suas aplicações num contexto de elevada incerteza. É neste quadro, que os fundos mistos assumem maior relevância na medida em que, fruto da sua diversificação, proporcionam alguma protecção da carteira, no caso de possíveis eventos extremos de curto prazo e, ao mesmo tempo, permitem também não comprometer as rendibilidades de longo prazo consonantes com as necessidades e objectivos do investidor ao longo do ciclo de vida.

- Quais podem ser as vantagens deste fundo em relação aos da concorrência e simultaneamente os pontos considerados mais fortes para este prémio?
A construção de uma carteira diversificada por classes de activos, com uma gestão dinâmica dessa alocação, com uma forte componente de análise fundamental na selecção de títulos e com um controlo de risco permanente, constitui-se, na nossa óptica, como uma proposta de valor forte no segmento de fundos mistos. Esta abordagem tem originado resultados comprovados em termos de consistência de performance dos fundos mistos da Caixagest nos últimos cinco anos. Este é, sem dúvida, o elemento diferenciador do fundo e está patente no reconhecimento atribuído pela Morningstar aos fundos mistos geridos pela Caixagest. Em 2009 e 2012, o Fundo Caixagest Estratégia Arrojada foi o melhor fundo nacional misto moderado e, em 2010, o fundo Caixagest Estratégia Equilibrada recebeu o prémio de melhor fundo nacional misto defensivo.

O Mais Lido