Fundos em destaque nas captações ponderadas pelo património


Uma vez anunciado o Top 20 dos fundos de investimento que mais património captaram em 2019, em termos absolutos, analisamos agora os instrumentos com maiores captações ponderadas pelos ativos sob gestão no final de 2018. Pela sua natureza de cálculo, esta métrica é agravada caso um fundo tenha começado o ano com um nível de património mais reduzido, o que normalmente acontece com produtos lançados recentemente. Assim, não serão considerados fundos com menos de 24 meses de atividade nesta análise.

No topo da lista vemos emergir um conjunto de produtos da IM Gestão de Ativos que já se vinham a destacar ao longo do ano na métrica de captações ponderadas. Temos assim cinco fundos, cada um especializado numa nuance do investimento em obrigações: o IMGA Liquidez, o IMGA Dívida Pública Europeia, o IMGA Rendimento Semestral e, alguns lugares mais abaixo, o IMGA Rendimento Mais e o IMGA Euro Taxa Variável. À exceção dos últimos dois, todas estas estratégias conseguiram captações num volume superior a 200% do valor dos ativos que detinham no início do ano, com especial destaque para o caso do IMGA Líquidez que chegou aos 306%.

O outro player dominante neste tema trata-se da GNB Gestão de Ativos, que à semelhança da casa anterior, já vinha a antecipar um fecho do ano na linha da frente neste indicador. Dos quatro fundos que constam na lista abaixo, são de realçar os resultados obtidos pelo NB Capital, que pela gestão de Manuel Aguiar atraiu um montante em captações mais de duas vezes superior ao de ativos no início do ano. Também o NB PPR/OICVM merece um lugar de relevo nesta métrica. As captações conseguidas pelo fundo de cariz destinado à reforma, que está a cargo de Paulo Joaquim, ascendem a 120% do património no final de 2018. De notar ainda a presença do NB Obrigações Europa, gerido por Vasco Teles, Fundo Blockbuster 2019 Funds People, alguns lugares mais abaixo, com um resultado de 65% obtido nesta métrica.

Uma última nota vai para uma estratégia da Invest Gestão de Ativos que já tinha merecido destaque entre os fundos multiativos com melhor relação rentabilidade/risco. Trata-se do Invest AR PPR, gerido por Paulo Monteiro, que no que toca às subscrições líquidas ponderadas atingiu a marca dos 76% em relação aos ativos sob gestão no início do ano passado.

Confira abaixo os 20 fundos com maiores captações ponderadas pelo património no início de 2019.

Captações 2019 Fundos Ponderado

 
Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas