Fundos e estratégias de terceiros no Horizonte Segurança


No fecho do 1º semestre de 2019 o fundo de pensões aberto Horizonte Segurança fechava o Top 10 dos maiores fundos de pensões do mercado nacional, com um montante de ativos sob gestão de 76,1 milhões de euros. Tal como o próprio nome indica, este produto da Ageas Pensões (antiga Ocidental Pensões) procura a apreciação do seu património através da exposição a classes de ativos com baixa volatilidade, nomeadamente através do investimento direto em obrigações. Porém, há também espaço para veículos de investimento de terceiros: um valor de 30 milhões de euros, representando 40% da carteira, encontra-se destinada a fundos de investimentos.

As aplicações nestes produtos são consistentes com a filosofia de investimento principal do fundo de pensões. Ou seja, das nove aplicações, cinco especializam-se no investimento em obrigações, atraindo 84% do montante destinado a estratégias de terceiros (26 milhões de euros). Assim, é sem surpresa que vemos surgir como as maiores aplicações do fundo de pensões três instrumentos de investimento em títulos de fixed income. De destacar que esses três veículos reúnem entre si 77% do património alocado a fundos de investimento.

À cabeça encontra-se o BMO Euro Bond Fund, produto da BMO Global Asset Management focado no investimento em dívida governamental que reúne 40% do montante alocado a fundos, com 12,2 milhões de euros investidos. Seguem-se dois ETF especializados em obrigações numa ótica de curto prazo, o iShares EUR Ultrashort Bond (iShares) e o Amundi Floating Rate Euro Corporate 1-3 (Amundi), com 7,5 milhões e 3,9 milhões aplicados, respetivamente.

É também possível encontrar três fundos especializados em ações, tais como o BSF Americas Diversified Equity Absolute Return, da BlackRock, a aplicação com maior representação deste grupo. Importa notar que o investimento em equity é feito exclusivamente através de fundos de gestão ativa, todos da mesma categoria (market neutral), o que pode espelhar uma preferência por confiar o investimento em classes de ativo mais voláteis na expertise de outros profissionais.

Por fim, de destacar a presença de um veículo numa classe de ativo menos comum: o UBS CMCI Composite SF, um ETF da UBS Asset Management, que tem como objetivo a replicação do índice UBS Bloomberg Constant Maturity Commodity Index Total Return. Este índice procura garantir exposição beta ao investimento em commodities, sendo composto por contratos de futuros sobre as mesmas, em sectores tais como energia e metais preciosos.

 Fundo  Entidade Gestora Gestão Classe de Ativo Categoria Morningstar Montante % AUM % Total de Fundos
 BMO EURO Bond Fund   BMO GAM  Ativa Bond Government Bond 12 258 645 € 16% 40%
 iShares EUR Ultrashort Bond UCITS ETF   iShares (BlackRock)  Passiva Bond Ultra Short-Term Bond 7 575 101 € 10% 25%
 Amundi Floating Rate Euro Corporate 1-3 UCITS ETF   Amundi  Passiva Bond Corporate Bond - Short Term 3 937 553 € 5% 13%
 BSF Americas Diversified Equity Absolute Return   BlackRock  Ativa Equity Alt - Market Neutral - Equity 2 190 634 € 3% 7%
 Amundi ETF Floating Rate   Amundi  Passiva Bond Corporate Bond 1 745 258 € 2% 6%
 BSF European Diversified Equity Absolute Return   BlackRock  Ativa Equity Alt - Market Neutral - Equity 1 050 226 € 1% 3%
 BMO Real Estate Equity Market Neutral   BMO GAM  Ativa Equity Alt - Market Neutral - Equity 900 758 € 1% 3%
 BMO Responsible Euro Corporate Bond   BMO GAM  Ativa Bond Corporate Bond 569 480 € 1% 2%
 UBS ETFs Plc CMCI Composite SF UCITS ETF   UBS ETF (UBS AM)  Passiva Commodities Commodities - Broad Basket 501 772 € 1% 2%
Total         30 729 427 € 39%  

Fonte: Ageas Pensões, a 30 junho 2019

Empresas

Notícias relacionadas