Fundos de pensões representam quase 11 mil milhões de euros do montante a cargo das gestoras de patrimónios


Os tipos de clientes do segmento de gestão de patrimónios são vários. A APFIPP considera a esse nível os clientes particulares, fundos de pensões, fundos de investimento, seguradoras, fundações e ainda, outros investidores. Entre esses clientes, a Associação faz uma divisão entre investidores residentes e não residentes.

No mês de maio, o negócio de gestão de patrimónios voltou a decrescer, no que toca ao volume sob gestão, passando para o patamar dos 57,5 mil milhões de euros de ativos sob gestão. Os clientes particulares foram os que aumentaram mais no mês a sua preponderância nas gestoras patrimónios. Os dados da Associação indicam que o avanço foi de 1,8%, no património destes clientes, gerido pelas SGP. No final de maio, os clientes particulares tinham um montante de 946,2 milhões de euros, que se divide entre 838,1 milhões de euros dos residentes, e 108,1 milhões de euros dos não residentes.

Fundos de pensões a subir a fasquia

Embora mais ligeiro, os fundos de pensões também mostraram crescimento no mês, mais concretamente de 0,8%. A APFIPP reporta que em maio os fundos de pensões somavam muito perto de 11 mil milhões de euros de montante sob gestão nas carteiras das entidades.  

Também de salientar o incremento levado a cabo pelas fundações, que foram protagonistas de um crescimento de quase 1% no montante gerido pelas gestoras de patrimónios. No final de maio ultrapassaram a fasquia dos 52 milhões de euros nos portefólios em causa.

Seguradoras continuam a reunir a maior fatia do mercado

Embora tenham apresentado um decréscimo no montante que lhes pertence, as seguradoras continuam a ser o cliente mais robusto das sociedades que gerem patrimónios. Este tipo de cliente tem um volume gerido de 37,7 mil milhões de euros, e compõe quase 66% do total de carteiras a cargo das gestoras de patrimónios.

Notícias relacionadas

O Mais Lido