Tags: Gestores | Pensões |

Fundos de pensões abertos: as melhores rendibilidades no último ano


São vários os fundos de pensões abertos nacionais, mas no último ano houve cinco fundos que se destacaram pelas rendibilidades que obtiveram. Com uma rendibilidade anualizada de 15,6% (segundo dados da APFIPP), o Multireforma Acções, sob gestão da GNB Gestão de Ativos, manteve-se como o fundo mais rentável do último ano, como a APFIPP já tinha apresentado em maio deste ano. O fundo é gerido por Pedro Barata e está em atividade desde 2008, sendo constituído por um património autónomo, exclusivamente afeto à realização de um ou mais planos de pensões. Assume um dos níveis de risco superiores (4) em comparação com os restantes fundos presentes neste ranking e tem 10,5 milhões de euros sob gestão.

Em segundo lugar encontra-se o fundo gerido pela Ocidental Pensões, o Horizonte Acções, com uma rendibilidade anualizada de 12,7% no período. Este fundo tem uma alocação central em ações de 55% e o horizonte temporal de investimento é longo. A 31 de outubro de 2017, este fundo tinha 14,8 milhões de euros de volume sob gestão.

Apesar de se encontrar em terceiro lugar, com uma rendibilidade de 11,6%, o BPI Acções é o fundo com maior volume sob gestão (74,4 milhões de euros). É gerido pela BPI Vida e Pensões, o perfil do investidor é agressivo e o seu gestor é Luís Alvarenga. Em quarto lugar está o Futuro XXI, gerido pela Futuro e com uma rendibilidade de 10,3% no último ano. No último lugar deste top 5 encontra-se um outro fundo gerido pela GNB Gestão de Ativos, o Multireforma Plus, com 8,5% de rendibilidade anualizada e 16,1 milhões de euros sob gestão. Este fundo é gerido por João Pina Pereira e investe um máximo de 40% do seu património em ações de empresas admitidas à cotação em mercados regulamentados.

Rentabilidade dos melhores fundos de pensões abertos no último ano 

sf

Fonte: APFIPP, 31 de outubro de 2017.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas