Tags: Negócio | Europa |

Fundos de obrigações voltam a ser recorde de subscrições em Abril


Os fundos de acções registaram resgates líquidos pela primeira vez desde Agosto de 2012 enquanto os fundos de obrigações tiveram fortes subscrições líquidas, 26.500 milhões de euros. Nesse sentido, a PIMCO, reconhecida gestora na categoria de obrigações, liderou com uma captação de 4.600 milhões de euros, segundo o último relatório de fluxo de fundos publicado pela Morningstar.

“Se observarmos com maior detalhes as categorias que registaram maiores subscrições líquidas em Abril, vemos que a opção por fundos de obrigações corresponde mais a uma procura por rendimento num contexto de baixas taxas de juro do que a uma opção por segurança. Cindo das dez categorias que receberam mais dinheiro foram de obrigações”, sublinha Javier Sáenz de Cenzano (na foto), director de análise de fundos da Morningstar.

Os fundos da categoria acções Japão grande capitalização foram uma excepção, registando subscrições líquidas de 1.100 milhões de euros em Abril, um máximo histórico (na captação mensal) desde Fevereiro de 2007.

No conjunto, os fundos com uma vocação de investimento de longo prazo (excluindo os fundos de fundos) receberam entradas líquidas de dinheiro no valor de 40.300 milhões de euros no mês de Abril. Os investidores regressaram, de forma ainda modesta, aos fundos monetários, depois de apresentarem reembolsos no valor de 6.800 milhões de euros no primeiro quadrimestre do ano.

Os fundos de gestão alternativa receberam 3.100 milhões de euros em Abril, correspondente um terço desse valor às entradas do Standard Life Global Absolute Return Strategies.

O fundo Templeton Global Total Return gerido por Michael Hasenstab e ao qual os analistas Morningstar atribuíram um ‘analyst rating’ bronze, captou cerca 2.000 milhões de euros, constituindo esta a entrada mensal mais importante para o fundo, com a qual acumula um volume de subscrições líquidas de 6.300 milhões desde o início do ano, segundo publica o último relatório de fluxo de fundos na Europa da Morningstar

Em Abril, três fundos italianos subiram para as primieras posições do ‘top’ de captações: o UBI SICAV High Yield Bond, gerido conjuntamente pela Unione Banche Italiane e Pramerica, que recebeu 1.200 milhões de euros e dois fundos mistos, o Eurizon Cedola Attiva Maggio 2018 e o Eurizon Cedola Attiva Piu Maggio 2018, que captaram 657 milhões de euros e 624 milhões de euros respectivamente. Ambos são fundos que vencem em 2018 e as entradas de dinheiro reflectem as compras de participações durante os períodos de subscrição inicial.

Pelo contrário, o Global Index Etisk, um fundo de acções global, estilo ‘blend’ e o Schroder UK Alpha Plus foram os que sofreram maiores reembolsos em Abril. Por categoria, a de acções Reino Unido, grande capitalização, estilo ‘blend’ continua a ser a mais penalizada, com saídas líquidas de 1.500 milhões de euros em Abril.

Anexos

Empresas

Notícias relacionadas