Tags: Negócio |

Fundos de investimento mobiliário crescem 1% em outubro


No final do mês de outubro, o valor gerido pelos 175 fundos mobiliários nacionais ascendia a 10.959 milhões de euros, um valor mais alto em 1% do que o registados no mês de setembro, conforme mostram os dados publicados pela Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios (APFIPP). Em termos monetários, o crescimento rondou os cem milhões de euros. “Desde o início do ano, verifica-se um decréscimo nos montantes sob gestão de 8,2%, sendo que, nos últimos 12 meses, observa-se uma diminuição de 3,3%”, segundo se pode ler na nota informativa publicada pela Associação.

O mesmo documento mostra o comportamento das captações líquidas no mês passado. Pelo terceiro mês consecutivo, as captações líquidas dos fundos mobiliários nacionais pisaram terreno positivo. Os dados da Associação mostram que as captações líquidas ascenderam a 113 milhões de euros, que resultaram de “um volume de subscrições de 416,8 milhões de euros, sendo que o valor dos resgates foi de 303,6 milhões de euros. Desde o início do ano, o saldo acumulado de subscrições menos resgates é negativo no valor de 970,8 milhões de euros“, relata a Associação.

Que entidades registaram mais captações líquidas?

A liderança vai para a BPI Gestão de Activos, que registou mais de 57 milhões de euros em captações líquidas, fazendo com que no ano o valor supere os 235 milhões de euros.

Realce, ainda, para as entidades IM Gestão de Ativos, GNB Gestão de Ativos e ainda a Santander Asset Management. Estas três entidades superaram os 15 milhões de euros; no entanto, todas elas apresentam saldo negativo no agregado do ano de 2016.

Entidades com captações líquidas positivas em outubro

Captura_de_ecra__2016-11-15__a_s_12

Fonte: APFIPP no final de outubro. Valores em milhões de euros.

 

Empresas

O Mais Lido