Fundos de ações cujas captações mais pesam em 2018


Se no cômputo geral foram os fundos de alocação e de obrigações que evidenciaram maiores captações ponderadas por património desde o início do ano, alguns fundos de ações não ficaram aquém no que se refere à capacidade para captar dinheiro dos investidores. Dois fundos, especificamente, ocupam dos primeiros lugares deste ranking, apesar da sua já grande dimensão no final do ano de 2017, o Caixagest Ações Líderes globais (Fundo Blockbuster Funds People) e o Santander Acções Europa. São também fundos que ocupavam os dois primeiros lugares no ranking de captações absolutas em fundos de ações nos primeiros nove meses do ano.

O primeiro, o maior fundo de ações nacional, captou nos primeiros nove meses do ano mais de 80 milhões de euros, o que representa 25% dos ativos sob gestão com que começou o ano. Esta estratégia, que fez recentemente cinco anos de existência, segue uma abordagem de investimento de convicção, concentrando os investimentos em 25 títulos de empresas com marcas fortes, a nível global. Alguns exemplos de títulos em carteira são a Visa, Microsoft, Johnson & Johnson ou Nestlé.

O Santander Acções Europa, da Santander Asset Management é o segundo fundo neste ranking. Gerido por José António Montero, o fundo terminou o ano com praticamente 87 milhões de euros sob gestão. Durante o ano, as  entradas de dinheiro foram na ordem dos 11 milhões de euros, o que representa 12,7% dos AuM do fundo no final de 2017. A estratégia de ações europeias é diversificada em 47 posições, sendo que mais de um terço do fundo está exposto ao sector do consumo.

Destaque também para o fundo IMGA Global Equities Selection, gerido por António Dias e Nuno Marques, da IMGA. O fundo fechou o terceiro trimestre de 2018 com 13,34 milhões de euros sob gestão, tendo captado durante o ano 944 mil euros, representativos de 8,1% do património com que fechou 2017.

De realçar também quatro dos fundos mais pequenos no top 10 deste ranking. Nestes inclui-se o fundo de ações ibéricas da Invest GA, bem como três fundos da Montepio GA.

Captura_de_ecra__2018-10-25__a_s_15

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

Os maus fundos nunca morrem

Há acontecimentos que devem fazer refletir a indústria de gestão de ativos. Um deles é a grande sobrecapacidade existente no setor, com produtos que não estão à altura e que, ainda assim, continuam a ser comercializados sem reservas.

Anterior 1 2 Siguiente

O Mais Lido