Tags: Ações |

Fundo que investe nos temas que irão “moldar o progresso da civilização humana ao longo das próximas décadas”


(Raul Póvoa, da Invest Gestão de Activos escreve hoje para o espaço "Um fundo porque sim". O produto escolhido é o Pictet Global Megatrend Selection, gerido pela Pictet Asset Management.)

O fundo Pictet Global Megatrend Selection é um fundo global de ações, diversificado geograficamente e sectorialmente. Este fundo é gerido pelo gestor Hans Peter Portner, responsável pelas ações temáticas da Pictet Asset Management, que se juntou à Pictet em 1997. A equipa de gestão reúne um total de 17 gestores experientes, cada um com especialização na área de investimento temática. O fundo foi lançado em outubro de 2008 e atualmente tem cerca de 4,3 mil milhões de dólares sob gestão.

Este produto é fundo de ações global muito diversificado que investe em mega tendências ("megatrends"), em forças estruturais que estão a transformar o mundo. O produto visa proporcionar o acesso a empresas que serão capazes de beneficiar destas megatendências e o crescimento a longo prazo do capital, a partir de uma média ponderada reequilibrada mensalmente dos nove temas estratégicos de investimento (Agricultura, Madeira, Água, Marcas Premium, Segurança, Robótica, Energias não Poluentes, Comunicação Digital e Saúde). Estes temas irão moldar o progresso da civilização humana ao longo das próximas décadas. São privilegiadas as empresas mais promissoras que beneficiem das megatendências globais.

 O fundo investe em dinâmicas de crescimento, independentes do ciclo económico:

- Crescimento da população e incremento da riqueza dos países emergentes (Agricultura, Marcas Premium, Madeira);

- Envelhecimento da população e o custo associado (Saúde);

- Aumento pela procura de energias eficientes, ecológicas e sustentáveis (Energias Não Poluentes);

- Globalização de Internet e a transição para o mundo digital (Comunicação Digital);

- Inovação, novas tecnologias e globalização tornam cada vez mais necessárias soluções de segurança a todos os níveis (Segurança);

- Escassez de Água disponível e aumento da sua procura (Água);

- Urbanização e necessidade de novas infra-estruturas em países emergentes (Água e Madeira);

- Recuperação económica a nível global (todas as temáticas).

Apesar da incerteza política derivada da nova administração norte-americana e as eleições em França e Alemanha ao longo do ano de 2017, acreditamos que as ações continuam a ser a classe de ativos com maior upside. Por este motivo, mantemos uma estratégia global defensiva, com preferência por ativos considerados relativamente subavaliados e de elevada diversificação. 

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido