Fundo aposta em 'yields' atractivas e dividendos sustentáveis


Este fundo, com um património de 1.499,7 milhões de dólares, apresenta uma rendibilidade, desde inicio do ano, de 26,1% face aos 9,2% do MSCI AC Pacif ex Japan index e uma volatilidade anual de 17,5%, segundo a própria gestora.

O gestor do fundo, Kinf Fuei Lee, alerta para o mito seguido por muitos investidores que priorizam "a valorização do capital no crescimento económico do que o retorno de dividendos, quando historicamente este representou quase dois terços do retorno total nos mercados de valores asiáticos". Por conseguinte, "a correlação com crescimento económico é muito maior sob a perspectiva dos dividendos - uma vez que o ambiente macro condiciona a distribuição de dividendos de uma empresa, sendo por isso um bom factor de avaliação de uma economia -, do que da valorização do capital", acrescenta o gestor.


King Fuei Lee refere, ainda, que "possivelmente se vive um fenómeno de curto prazo na Ásia, uma vez que é uma das regiões com maior crescimento, o que atrai mais investidores, e esse aumento de procura reflecte-se nas valorizações obtidas. No entanto, ao invés de serem menos atractivas verificamos que a Ásia tem oferecido dos mais altos retornos de dividendos, sendo este um bom momento para investir".  

As principais posições do fundo, de acordo com dados do final de Setembro, eram Jardine Strategic Holding (4,2% do valor patrimonial líquido do fundo), Hongkong Land Holdings (2,9%), UOL Group (2,8%), Swire Pacific (2,5%), Jardine Matheson Holdings (2,4%), HSBC Holdings (2,4%), Bank Mandiri Persero (2,3%), Sun Hung Kai Properties (2,3%), Samsung Electronics (2,3%) e Regis Resources (2,3%). Verifica-se, no 'asset allocation' uma preponderância do sector financeiro (35%) e, em termos geográficos, do investimento na Austrália (23,6%) e Hong Kong (21,9%).
 

Empresas

O Mais Lido