Tags: Negócio |

Fundbox: “No sector Imobiliário, sem dúvida que o mercado e a continuidade da procura são a nossa maior preocupação”


(Perspetivas para 2019, traçadas por Joaquim Meirelles, Vogal da Comissão Executiva, da Fundbox)

O que esperam de cada uma das principais economias no ano de 2019?

Nesta minha abordagem, darei maior foco ao confronto EUA e China, nas prioridades das suas administrações, balanceadas entre a arte da negociação e a disputa competitiva. Estas aplicam-se em diversos assuntos, onde destaco os negócios, na área das (novas) tecnologias, “p.e” com a Huawei, na supremacia competitiva com a sua tecnologia 5G. Como também perceber quais as medidas de recuperação do saldo deficitário da balança comercial, por parte do EUA. Resta-nos esperar para ver o “how this ends”.

Quais as classes de ativos melhor posicionadas para enfrentar o novo ano e que perspetivas têm para cada uma delas (obrigações, ações, imobiliário...). Se tiverem alguma perspetiva sobre o petróleo, dado que é o tema do momento poderia ser importante?

 Como gestor de fundos imobiliários, daria primazia ao sector, em especial aos fundos Florestais, que investem na floresta nacional, reforçando a importância da dimensão das propriedades, a existência de uma estrutura organizativa, com competências partilhadas e que gerem projetos estruturantes, ao nível económico, social e cultural nas zonas onde se inserem. Complementarmente a fiscalidade bonificada existente, tendo sido reforçada pelo OE 2019, ao nível da transferência patrimonial, constituem fortes argumentos para enfrentar os desafios deste novo ano.

Que riscos monitorizam por esta altura com maior preocupação e porquê ?

No sector Imobiliário, sem dúvida que o mercado e a continuidade da procura são a nossa maior preocupação, qual o tipo, a sua origem e suas motivações, merecem uma consideração muito especial, sabendo de antemão que existe um pipeline de projetos residenciais aprovados e não só, constitui um desafio na oferta, interessada em satisfazer, em valor, em numero e em diversidade, tanto nos conceitos, como nos produtos e suas localizações.

Qual o fundo de investimento que recomendam para o ano de 2019 e porquê?

A aposta nos fundos alternativos, visa criar uma alternativa de investimento, diversificada e com reduzida correlação com outros investimentos mais convencionais. Neste tipo de fundos, dentro da diversificada gama de investimentos, o nosso foco é a montagem de veículos que invistam em arte contemporânea, em carros antigos e em vinhos nacionais.

Quais os temas de investimento sobre os quais estão mais "sedentos" de informação por esta altura?

Esta área dos fundos alternativos, especialmente relacionados com vinhos e arte contemporânea, é sem dúvida uma área onde dificilmente se obtém informação nos canais nacionais, a escassa informação disponível normalmente tem como origem os canais internacionais.

Notícias relacionadas