Tags: Gestores |

Frédéric Puzin (Presidente da CORUM): “A ideia principal por trás do desempenho dos nossos fundos é usar os ciclos de mercado, mais do que sujeitar-se a eles”


(Entrevista a Frédéric Puzin, Presidente da CORUM, entidade francesa que em 2018 abriu sucursal em Portugal, distribuindo atualmente no nosso país dois fundos imobiliários, o Corum Origin e Corum XL)

Funds People  - Qual o racional de abertura de uma sucursal no mercado português, e quais os objetivos que têm fixados para este mercado no longo prazo?

Frédéric Puzin - A abordagem simples e transparente, que faz parte do posicionamento da Corum, traz ao mercado português uma nova forma de olhar para os fundos de investimento imobiliário. Não existiam em Portugal produtos com estas características, em que se mantêm os acionistas permanentemente a par dos edifícios que fazem parte do seu portefólio e da valorização dos seus investimentos.

A entrada no mercado nacional foi estudada cuidadosamente e aportou-se em 3 eixos fundamentais:

  • Atual dinamismo positivo da economia portuguesa.
  • Relações franco-portuguesas.

As sólidas raízes históricas entre os dois países, foram muito relevantes, tanto para os franceses que atualmente vivem em Portugal e que têm neste país vantagens fiscais interessantes, como para os portugueses que tiveram relações com a França ou que atualmente vivem no país.

Desde cedo investimos no mercado imobiliário português, logo em 2014, com a aquisição de lojas no norte do país, em Braga e no Porto. Foram cerca 36 milhões de euros que investimos em Portugal e que representaram quase 4% do nosso volume global de aquisições desse ano.

  • Possibilitar o acesso de particulares a produtos financeiros de investimento imobiliário, habitualmente direcionados a investidores profissionais, trazendo total transparência e simplicidade à oferta.

A presença física da Corum em Portugal foi uma necessidade natural que decorre da nossa experiência em prestarmos um melhor serviço e de maior proximidade para com os nossos investidores e parceiros.

O nosso escritório em Lisboa conta com uma equipa formada por profissionais, preparada para prestar o melhor aconselhamento aos investidores nacionais e esclarecer de forma clara e simples como funcionam os nossos fundos.

Acredito fortemente no potencial do mercado português ao nível da poupança e vejo como fator diferenciador claro, o nosso compromisso com a performance, simplicidade e transparência dos produtos para com os investidores portugueses, como os que propomos.

Funds People - Qual a história da CORUM, e o que é que o seu track record acrescenta ao mercado nacional?

Frédéric Puzin - A Corum nasceu em 2011, em Paris, da vontade de investir na economia real e de contribuir para financiar uma economia mais produtiva. Sabemos que a poupança das famílias é o elo que existe entre os esforços passados e a vida futura e, por isso, estamos cientes da responsabilidade que nos cabe e temos uma conceção muito própria de poupança.

Os investimentos que propomos são o reflexo disso, sendo a nossa filosofia baseada em investimentos simples e acessíveis, que aproximam a poupança das pessoas da economia real, investimentos diretos capazes de financiar o desenvolvimento e crescimento das empresas, gerando valor. E, acima de tudo, tornando-os capazes de compreender como o seu dinheiro é usado e como a geração de riqueza retorna para eles.

Fizemos, por isso, a escolha de oferecer fundos imobiliários transparentes e acessíveis ao maior número de pessoas que, ao mesmo tempo apostam na diversificação geográfica e setorial como forma de disseminar o risco e atingir o objetivo de performance estabelecido. Os dois produtos que disponibilizamos desde o final de 2018 em Portugal, Corum Origin e Corum XL, com preços de investimento por ação acessíveis, de 1090€ e 189€ respetivamente, são reflexo disso mesmo.

Há 8 anos que a Corum tem a melhor performance e, apesar de hoje sermos mais de 80 colaboradores, termos escritórios espalhados pelo mundo em Paris, Lisboa, Londres, Dublin, Amesterdão, Viena e Singapura, cerca de 3 mil milhões de ativos sob gestão e mais de 30.000 acionistas, temos a clara noção de que é sempre possível fazer melhor e, como tal estamos permanentemente atentos a novas oportunidades de investimento dentro e fora da Europa, tendo sempre como pilares base a transparência e o respeito pelos interesses dos investidores que confiaram em nós.

Funds People - Os dois fundos que atualmente disponibilizam no mercado nacional (distribuídos no EuroBic) o que é que acrescentam ao nível da oferta já existente em Portugal no imobiliário? Como se posicionam os dois fundos atualmente?

Frédéric Puzin - Os fundos imobiliários Corum Origin e Corum XL propõem a distribuição de rendimento mensal, a diversificação por 14 países e diferentes setores de atividade como hotéis, lojas, escritórios, indústria, logística, saúde e um investimento mínimo reduzido. Atualmente os dois fundos são distribuídos no EuroBic mas pretendemos alargar a distribuição dos fundos imobiliários Corum a outros bancos e intermediários financeiros com quem estamos a negociar.

Ambos os fundos têm bons desempenhos desde o seu lançamento tendo, por exemplo, Corum Origin atingiu uma performance anual superior a 6% desde a sua criação em 2012 e valorizações do preço da ação por 6 vezes em 7 anos (passou de 1075€ para 1090€ a 1 de junho).

Já Corum XL, que investe em 7 países dentro e fora da zona euro, registou uma performance de 7,91% no ano passado, depois de ter sido de 6,58% em 2017, ano em que foi lançado.

A ideia principal por trás deste desempenho é usar os ciclos de mercado mais do que sujeitar-se a eles. Por outras palavras, investir em mercados favoráveis aos compradores e desinvestir nos

mercados onde os vendedores definem o preço. E os investimentos só serão feitos em mercados dos quais se está convencido a longo prazo - mesmo que eles estejam atualmente em uma fase mais difícil.

A longo prazo, a estratégia de escolha de oportunidades entre diferentes mercados, resulta numa diversificação muito elevada: países, tipo de construção, setores de arrendatários. E a diversificação é a melhor proteção contra o risco de mercado.

O nosso foco está também na escolha de arrendatários sólidos e com baixa possibilidade de incumprimento, assim como na seleção de imóveis de alta qualidade para arrendamento, com contratos de longo prazo que proporcionam fortes fluxos de caixa. Este último também impulsiona o desempenho.

Apesar do desempenho dos nossos fundos, como em qualquer outro investimento, as rentabilidades passadas não constituem garantia de rendibilidade futura. E como em qualquer outro investimento há o risco de perda de capital, a liquidez é limitada. Como falamos de imóveis, recomendo um período de investimento de 8 anos.

O nosso compromisso é sermos sempre transparentes para com os nossos acionistas, explicando-lhes sempre a realidade dos mercados imobiliários nos quais os nossos fundos irão investir.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido